Saiba quais são os riscos de navegar em águas rasas

Compartilhe:

Independente se você é um marinheiro de primeira viagem ou tem bastante experiência no mundo náutico, é extremamente importante obter o máximo de informações que conseguir sobre os perigos de qualquer tipo de navegação. Por isso, no texto de hoje, vamos abordar quais são os riscos de navegar em águas rasas e te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto.  

Boa leitura! 

Quais são os riscos de navegar em águas rasas?

Muitas pessoas desconhecem o fato de que é preciso muita atenção ao navegar por águas rasas, existem cuidados que precisam ser tomados antes mesmo de acessar áreas assim. Essas precauções são fundamentais para garantir a segurança da embarcação e de todos os tripulantes presentes nela também. 

Locais de águas rasas apresentam baixa profundidade. Por isso, um espaço pode ser considerado de águas rasas quando a folga entre a quilha e o fundo do mar é inferior a metade do seu calado. Calado é o termo utilizado para nomear o ponto da profundidade até o ponto mais baixo da quilha de uma embarcação, em relação à superfície da água. 

O calado mede-se verticalmente a partir de um ponto na superfície externa da quilha e a superfície da água. Caso o piloto não saiba que está navegando por águas rasas, a própria embarcação tende a apresentar alguns comportamentos bem perceptíveis e diferentes do seu funcionamento normal.

Veja alguns exemplos a seguir!

  • A embarcação torna-se mais lenta para manobrar;
  • Há maior criação de ondas na proa da embarcação;
  • A embarcação pode começar a vibrar; 
  • Os movimentos de balanço, cabeceio e arfagem diminuem devido ao colchão de água criado abaixo do barco; 

Mais um dos riscos de navegar em águas rasas é a interferência no bom funcionamento de determinadas peças primordiais para a embarcação, como o próprio motor. A areia ou lama do fundo da superfície do mar pode adentrar às peças e assim impedir que elas continuem funcionando. Essa ação pode ser imediata, complicando ainda mais a situação.

Os riscos de navegar em águas rasas acabam colocando à prova a proteção dos tripulantes, o funcionamento adequado do barco, de suas peças e motor, causando um grande prejuízo para você dono da embarcação. 

Sem contar com o risco mais comum no mundo náutico, que é a lancha ficar encalhada nas águas rasas. Que é quando – de forma involuntária – a embarcação fica presa no fundo da superfície do mar, impedindo de continuar navegando. 

Cuidados essenciais para navegar em águas rasas

Temos um conteúdo exclusivo em nosso blog abordando os principais cuidados para a navegação em águas rasas, para conferir na íntegra clique aqui. Mas, antes disso, vamos relembrar quais são as precauções a serem tomadas. 

Estude o caminho a ser percorrido

Se for possível, estude o caminho que irá percorrer durante sua navegação. Assim será mais fácil de identificar possíveis áreas de baixa profundidade. Quanto mais informações o você tiver, mais seguro se torna o trajeto. É preciso aferir se o percurso apresenta caminhos mais estreitos, qual é o clima, qual a velocidade do vento e as ondas.

Você pode solicitar para a marinha a carta náutica da região e também utilizar alguns aplicativos que são específicos para auxiliar na navegação.

Conheça muito bem sua embarcação

Essa é uma dica importante para qualquer tipo de navegação, mas, principalmente, para reduzir os riscos de navegar em águas rasas: conheça muito bem sua embarcação. Somente assim é possível calcular até onde você pode ir e qual caminho é mais seguro de acordo com as características da sua lancha

Velocidade adequada

Grande parte dos acidentes e imprevistos que ocorrem no mundo náutico estão relacionados com a velocidade inadequada no local a ser navegado. E no caso da navegação em águas rasas não é diferente. Se o piloto respeitar a velocidade indicada, será muito mais fácil de controlar e se sair bem de qualquer imprevisto. 

Com essas dicas ficou mais fácil e mais seguro navegar em águas rasas e evitar todos os riscos que essa situação pode trazer. Se você gostou deste conteúdo e gostaria de ficar por dentro de outros assuntos sobre o universo náutico, acesse o site da FS Yachts agora mesmo. 

Como calcular a velocidade de cruzeiro da lancha?

Compartilhe:

Quem não é marinheiro de primeira viagem e já pilota há certo tempo sabe que existe um ponto certo de equilíbrio que faz com que o motor tenha menos desgastes e a embarcação consuma menos combustível durante as viagens. Isso é possível quando se atinge a velocidade ideal e a estabilidade entre o motor e o casco da lancha. Por isso, neste conteúdo, vamos dar dicas de como calcular a velocidade de cruzeiro e explicar um pouco mais sobre o assunto náutico.

Afinal, o que é velocidade de cruzeiro?

A velocidade de cruzeiro é uma faixa de velocidade que mantendo-se dentro dela, o desgaste do motor da embarcação é menor. Essa faixa varia utilizando em média 50 a 60% da rotação máxima do motor. 

Em embarcações com motorização a gasolina, tanto motor de centro rabeta quanto o motor de popa, a faixa ideal de cruzeiro é em torno de 3.000 a 4.000 RPM – isso baseado em testes já realizados na área. Apesar dos resultados serem diferentes para os motores a diesel, visto que eles possuem uma faixa de rotação menor que os motores a gasolina. A ideia dos 50 a 60% da rotação máxima se mantém também. 

Também existe dentro da velocidade de cruzeiro uma categoria conhecida como velocidade de cruzeiro econômica. Que é quando o motor atinge sua maior autonomia, ou seja, percorre uma maior distância gastando menos combustível

Como calcular a velocidade de cruzeiro da embarcação?

É preciso realizar alguns cálculos rápidos para saber qual é a velocidade de cruzeiro ideal da sua embarcação, onde ela consegue ter maior autonomia. Os cálculos precisam identificar a velocidade média e o consumo de combustível médio para então conseguir calcular a velocidade de cruzeiro ideal da lancha. 

Principais anotações para realizar os cálculos

Calcular a velocidade de cruzeiro deve ser feito da seguinte forma. Você precisa coletar dados de quando sua embarcação estiver navegando a 3.000, 3.500 e 4.000 RPM. Com base nesses dados serão avaliados também o consumo de combustível e a velocidade média em cada uma dessas rotações. 

Vamos começar com a seguinte marcação: com o seu barco a 3.000 RPM você irá verificar no computador do motor qual é o consumo de combustível e na tela do GPS qual é a velocidade naquele momento. Anote essas informações para que o cálculo seja o mais eficaz possível. Você vai fazer essas mesmas anotações estando navegando a 3.500 e 4.000 RPM: velocidade e consumo de combustível em cada uma das rotações separadas.

É fundamental que durante a navegação seja seguida uma raia, uma reta de forma a ter uma direção como referência. É importante manter um trim, o ângulo da rabeta em equilíbrio de forma que a proa não fique nem muito enterrada e nem muito alta. Essas instruções precisam ser seguidas para a obtenção de dados mais precisos na hora de calcular a velocidade de cruzeiro da sua embarcação. 

Colocando os cálculos em prática

Após obter todas essas informações é hora de realizar o cálculo que irá nos apresentar o resultado final. Que será feito da seguinte forma:

  • Você vai dividir o valor da velocidade pelo consumo de combustível em litros por hora e multiplicar por 90% do volume do tanque da sua lancha. Os 90% do volume do tanque já contando com uma margem de segurança de 10% do combustível reservado no local. 

Avaliando os resultados finais

Realizando essa conta no caso das três rotações diferentes você terá os valores em milhas de qual é a autonomia do seu barco em cada uma das situações. Isso significa a rotação que permitir que você navegue por mais milhas utilizando da melhor forma o combustível de litros por hora. 

Essa é uma das melhores formas de calcular a velocidade de cruzeiro da sua embarcação. É importante ressaltar ainda que tendo esse dado é possível realizar passeios mais seguros, conhecendo a capacidade do seu barco e também economizar na hora de abastecê-lo. 


Agora que você já conhece um pouco mais sobre como calcular a velocidade de cruzeiro da sua lancha e os benefícios de conhecer esta prática, que tal escolher a sua embarcação preferida? Entre em contato com o nosso estaleiro FS Yachts, conheça todos os modelos de lanchas disponíveis e escolha a sua! Clique aqui para acessar nosso site.