O hélice do barco “derrapou”: saiba como resolver esse problema!

Compartilhe:

Uma peça aparentemente tão pequena – diante do tamanho de uma embarcação – mas que é de extrema importância para o bom funcionamento da mesma. Hoje vamos novamente falar sobre o hélice do barco. E também citar algumas dicas de como resolver o problema de quando a peça “derrapa”. Confira mais informações sobre o assunto a seguir!

Qual a importância do hélice do barco?

Antes de explicarmos como resolver o problema quando o hélice do barco derrapa, vamos relembrar a importância da peça e como é o funcionamento dela. Já sabemos que o que gera potência para a embarcação navegar é o seu motor, porém o que faz com que essa potência se transforme em força para movimentá-la, são os hélices. 

Essa é a principal função do hélice do barco, transformar a potência do motor em força para gerar impulso e para que o casco navegue perfeitamente. As pás da peça trabalham por diferença de pressão, formando um movimento circular. Essa circunferência é conhecida como o “diâmetro do hélice”. 

O diâmetro do hélice do barco é medido em polegadas ou milímetros, isso é determinado pelo espaço do barco para que as pás possam girar com espaço suficiente para não colidir com nada. Quanto mais pesado for o barco, automaticamente maior será o diâmetro do seu hélice. 

Hoje existem no mercado vários tipos de hélices, de diferentes materiais, tamanhos, modelos, desenhos e preços. E por esse motivo, quem não tem muito conhecimento no assunto pode acabar ficando na dúvida, em qual hélice é o mais indicado para sua embarcação. 

Nesses casos, sempre é recomendado procurar a ajuda de um profissional qualificado para auxiliar na escolha do hélice do barco. Já que é uma peça tão importante e levando em conta que cada tipo de lancha se adapta melhor com um tipo de hélice – a escolha dessa peça deve ser precisa. 

Possíveis problemas com o hélice do barco

Agora que já entendemos um pouco mais sobre o hélice do barco, é hora de saber quais possíveis problemas podem acontecer com a funcionalidade dessa peça. Já que caso os hélices estejam inadequados ou apresentando algum problema, eles poderão acarretar em empecilhos para o motor a sua embarcação. 

Algumas complicações comuns que podem afetar o funcionamento do hélice do barco, é a falta de lubrificação, a corrosão nas engrenagens, emaranhados de linhas de pescador e a ‘’derrapagem’’. 

Como resolver problemas com ‘’derrapagens’’ ?

Sobre os demais possíveis problemas citados acima, temos um conteúdo exclusivo em nosso blog, abordando alguns cuidados que devem ser tomados para evitar esses tipos de problemas: clique aqui para conferir o texto na íntegra. Mas hoje, vamos abordar em específico algumas dicas de como resolver os problemas com as ‘’derrapagens’’. 

1. Aumentar o giro da embarcação e ela não sair do lugar 

Pode acontecer do piloto acelerar seu barco, com isso o giro aumentar, porém a embarcação não sair do lugar. Uma possível explicação para esse caso – é quando acontece um ‘’derrapamento’’ do hélice do barco – é como se as peças não tivessem força suficiente para mover a lancha.  

Isso ocorre quando o hélice não está bem dimensionado com o tamanho da embarcação, ou seja, ele está com pouco espaço para trabalhar – esse problema pode estar associado com lanchas de pé-de-galinha e motor central. 

Para resolver essa situação é bem simples, levando em conta alguns cuidados no processo. A melhor alternativa é trocá-lo por um hélice de diâmetro maior, o que fará com que aumente a área de contato com a água, assegurando um bom funcionamento de todas as peças. 

2. Fenômeno de ventilação 

Outra possível explicação para acontecer o ‘’derrapamento’’ da embarcação é o fenômeno de ventilação, quando o hélice está muito perto da superfície da água e acaba sugando o ar de fora. Esse tipo de problema é mais comum em casos de embarcações com motor de popa e centro-rabeta. 

Se esse for o motivo de ‘’derrapar’’, a solução é baixar o trim e acelerar até que o barco saia do efeito de ventilação. Existem alguns tipos de hélices que permitem trabalhar mais próximas da superfície, como os de aço inox. E se ainda assim restarem dúvidas, é importante consultar um especialista.  


Gostou das dicas? Agora que tal saber mais informações sobre as lanchas FS? Entre no nosso site e conheça de perto. Há mais de 20 anos entregando embarcações inovadoras e com design único para satisfação de você nosso cliente.

Conheça os principais cuidados com a hélice do seu barco

Compartilhe:

Muito se fala que a manutenção preventiva de uma embarcação é de extrema importância. No entanto, há um item em específico que pouco é lembrado durante o serviço, mas que exige muita atenção e cuidado em um barco: a hélice. Por isso, no texto de hoje, vamos abordar quais os principais cuidados com a hélice e qual a importância de mantê-la em bom funcionamento. Acompanhe a seguir! 

 

Para que serve a hélice de uma embarcação?

 

Vamos começar entendendo qual a importância da hélice em uma embarcação. O papel do equipamento é imprescindível e de extrema importância em um barco. A hélice é nada mais nada menos que a responsável por transformar toda a energia gerada pelos motores em força, para impulsionar o casco da embarcação. 

Por esse motivo, não resolve ter a melhor lancha, com motores super potentes, se a hélice não estiver funcionando perfeitamente. Essa peça interfere na eficiência do barco, assim como na aceleração, na força e no consumo. Por esse e por muitos outros motivos, é essencial manter os cuidados com a hélice sempre em dia. 

 

Quais são os principais cuidados com a hélice?

 

Para fazer uma análise simples. Comparando aos transportes terrestres, os cuidados com a hélice se equivalem as precauções que devem ser tomadas com as rodas dos automóveis. A hélice também sofre um desgaste natural com o uso constante, desgaste esse que resulta em um mau funcionamento do equipamento.

Por isso, assim como em todas as demais peças importantes em uma embarcação, a hélice precisa de manutenção preventiva. O recomendado é que seja feita a cada seis meses. Esse é o tempo ideal para que a lubrificação da peça seja reforçada, ou uma revisão mais detalhada para identificar se há necessidade de fazer alinhamento, balanceamento ou recuperação das hélices. 

Lembrando que qualquer um desses procedimentos – alinhamento, balanceamento e recuperação – precisam ser realizados por uma empresa especializada, que garanta a eficiência dos serviços prestados e a qualidade das peças que foram utilizadas na manutenção. 

Mas, além dessas manutenções periódicas, existem alguns cuidados com a hélice que o próprio dono da embarcação pode ter, como fazer uma verificação simples antes de qualquer viagem – começando pelas pás, que não podem estar tortas, amassadas ou trincadas, por exemplo. 

 

Como realizar uma manutenção preventiva na hélice da embarcação?

 

Após verificar as pás como citado acima, é preciso retirar a hélice da embarcação para verificar o retentor e as partes internas da peça: 

 

  • A hélice possui uma cupilha que pode ser retirada facilmente com um alicate.
  • Após retirar a cupilha, é necessário remover a porca, o serviço deve ser feito com uma chave específica para esse tipo de peça.
  • Após remover a porca, é preciso retirar a hélice da embarcação (caso não saia, é porque provavelmente já passou do tempo de ser realizada a manutenção básica).
  • O quarto passo é realizar a limpeza do eixo da hélice, para retirar resíduos de outros produtos e também o acúmulo de sal.
  • Após realizada a limpeza, deve-se verificar a existência de linhas de nylon, de pescas (caso encontradas, precisam ser retiradas) e, após isso, deve-se aplicar um produto lubrificante.
  • Pode-se utilizar vaselina para lubrificação, pois ajuda a ter menos acúmulo de sal ou usar também graxa, que deixa a peça lubrificada por mais tempo. 

 

 

Quais as consequências caso não sejam realizados os cuidados com a hélice?

 

Em casos que os cuidados com a hélice não são colocados em prática, podem ser ocasionados graves problemas no motor da embarcação, assim como danos em outras peças e sistemas, como quando não é realizada a manutenção, a lubrificação da hélice se acaba, o que pode causar uma corrosão da engrenagem da peça – o que faz com que a hélice praticamente grude no motor, dificultando a sua remoção. 

Outro exemplo é quando se enrosca linha de pesca no retentor – se não retirada – ela pode ocasionar vazamento de óleo da rabeta e infiltração de água salgada nas engrenagens internas, causando assim a perda da rabeta. 

 

Gostou das dicas sobre quais são os principais cuidados com a hélice do seu barco? Então, te convidamos a conhecer as embarcações do estaleiro FS Yachts e escolher a sua preferida! Temos modelos para todos os gostos, com a qualidade já conhecida de uma lancha FS. Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo e saiba mais informações.