Acessórios para lanchas: o que não pode faltar em nenhuma embarcação?

Compartilhe:

Navegar pelas águas do nosso país é, com certeza, uma sensação única. É a mistura de belas paisagens com a adrenalina de pilotar uma embarcação. São momentos de diversão, lazer e descanso com sua família e amigos. E, para garantir que o passeio seja feito com tranquilidade, é preciso se assegurar de que os tão úteis acessórios para lanchas estejam na embarcação. 

Para quem não sabe, existem acessórios que são obrigatórios para que o barco possa navegar com segurança. Com eles, você está prevenindo que qualquer acidente com você ou quem estiver na embarcação aconteça. Quer saber quais são estes acessórios para lanchas? Então acompanhe esse post que a FS Yachts preparou para você! 

 

5 principais acessórios para lanchas 

 

1) Extintor de incêndio 

O extintor de incêndio é item indispensável em qualquer embarcação. Sabe por quê? Entre todos os acidentes mais graves com barcos, o incêndio é um dos principais. Mas, não perca a calma! Eles não ocorrem com frequência; mas é sempre bom prevenir.

Afinal, as embarcações são compostas de redes elétricas e líquidos inflamáveis, que se não forem corretamente realizadas manutenções periódicas, podem causar alguma pane ou incêndio. Portanto, o extintor de incêndio é um dos acessórios para lanchas que não podem faltar. Caso aconteça algum imprevisto, ele pode ser usado para apagar focos do incêndio rapidamente. 

 

2) Colete salva-vidas 

O próprio nome já diz: ele salva vidas! Por isso, o colete se tornou um dos acessórios para lanchas obrigatórios. O colete salva-vidas ajuda na segurança de todos que estão na embarcação na ocorrência de algum acidente.

Quando for comprar seus coletes salva-vidas, é preciso prestar atenção na qualidade do material e seu tempo de vida útil. Estas características são fundamentais na segurança. 

 

Dicas: o número de coletes salva-vidas de uma lancha deve ser igual ao total de pessoas a bordo. Além disso, deve-se contar com todos os tamanhos – podem haver crianças na embarcação, e elas precisam ainda mais usar este acessório de proteção. 

 

3) Kit de primeiros socorros

Queimaduras, hematomas e cortes são imprevistos que podem ocorrer com qualquer pessoa que esteja na embarcação, não é verdade? Por isso é preciso ter uns equipamentos básicos de primeiros socorros para fazer o atendimento em casos assim, como:

 

  • Remédio para enjoo;
  • Antialérgico para picadas de mosquitos; 
  • Pomada para queimaduras;
  • Ataduras e esparadrapo para curativos; 
  • Gelo para diminuir inchaços e dores; 
  • Aspirina para aliviar dores;

 

4) Boia circular 

Com certeza você já deve ter visto este item em alguma embarcação. Ele é mais um exemplo essencial de acessório para lanchas, já que ajuda no socorro das pessoas que caem ao mar. 

Vale ressaltar que: a boia circular deve conter o número de inscrição de homologação do produto, pois ele garante que a peça é de qualidade. Se a boia não apresentar o número, é possível que você receba uma multa em caso de fiscalização. 

 

5) Sinalizadores de emergência 

São usados para momentos de socorro, no caso de algum imprevisto com a embarcação. Os sinalizadores de emergência são indicados para salvamento de longa e curta distância. 

 

Agora, que você já conhece os principais acessórios para lanchas, é importante ficar atento se eles estão no seu barco antes de partir para o passeio. 

A FS Yachts está constantemente trazendo todo tipo de conteúdo relacionado ao mundo náutico. Se você quer seguir aprendendo cada vez mais, siga nosso Facebook e Instagram e nos acompanhe!

Cuidados para donos de barco: 3 erros que podem custar caro

Compartilhe:

Para aqueles que querem ter (ou já têm) a própria lancha, é importante ter em mente que a manutenção é uma das partes indispensáveis e que devem ser sempre tomadas como uma prioridade. E, nessa busca que os donos de barco passam para garantir o melhor às suas embarcações, existem certos erros que devem ser evitados.

No texto que a FS Yachts preparou para você hoje, nós trouxemos 3 destes principais erros que os donos de barco não devem cometer se não quiserem gastar um bom dinheiro sem necessidade. Continue a leitura abaixo e entenda!

 

Os 3 erros que podem custar caro para donos de barco

 

1. Dispensar o uso de um contrato

O primeiro erro que donos de barco não podem cometer de jeito nenhum é não dar a devida importância aos contratos. E isso vale para todas as situações em que um negócio estiver envolvido, até mesmo pequenos reparos. Até porque, caso algum problema não tenha sido devidamente consertado, é com o contrato que você poderá provar o que deveria ser feito e ganhar vantagem em uma eventual negociação.

Porém, pelo fato de o valor envolvido ser significativamente mais elevado, os contratos têm relevância ainda maior quando falamos na compra de uma embarcação. No caso de barcos novos, a preocupação não precisa ser tão grande assim, afinal, estaleiros confiáveis têm como procedimento padrão a emissão de um contrato incluindo tudo que acompanha a mais nova lancha.

O grande erro aqui é não cobrar um contrato em negociações de embarcações usadas. Por não serem novas, elas possuem certo risco de apresentarem problemas imediatamente após a troca de dono. Quando certos detalhes como um motor falho não são especificadas em um contrato, a responsabilidade (e o prejuízo) são todos de quem comprou.

 

2. Não realizar testes imediatos após uma manutenção ou conserto

No caso das manutenções e dos reparos, um teste imediato — e, de preferência, no mesmo local em que o serviço foi feito — é a melhor maneira que donos de barco têm de atestar se os problemas foram, de fato, corrigidos. Especialmente se você já tiver cometido o primeiro erro da lista e não tiver a garantia do trabalho por escrito.

Portanto, exija que você mesmo possa fazer um teste na frente do prestador do serviço e ter a certeza de que está tudo certo. Caso você tenha feito um contrato prévio, ótimo! Confira neste teste se tudo que foi contratado foi feito e não aceite formalmente sua embarcação de volta enquanto tudo não estiver conforme contratado.

 

3. Basear decisões em opiniões de familiares e amigos

Esta é uma questão polêmica. Ainda mais quando consideramos que nossos familiares e amigos são as companhias que mais gostamos nos nossos passeios de barco, não acha? No entanto, a verdade é que se o amigo ou familiar em questão não é especializado no assunto ou, pior ainda, não entende nem um pouco sobre o mesmo, a opinião dele não deve ser tomada como válida.

Sempre que você for fazer uma escolha relevante envolvendo sua lancha, desde a própria aquisição até a identificação de problemas e escolha de fornecedores, tome como palavra definitiva a sua decisão.

Se você acredita que não possui o conhecimento necessário, não corra riscos; converse com profissionais. Se eles forem funcionários de determinada empresa, ouça mais de uma opinião. Sempre busque o melhor para a sua embarcação, lembre-se de que ela não foi um investimento barato.

 

 

Evitando estes erros, você e outros donos de barco podem evitar prejuízos, tanto para os bolsos quanto para os barcos. Gostou do conteúdo de hoje? Para receber ainda mais textos como este, siga a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

O que não pode faltar em um kit de primeiros socorros para barco?

Compartilhe:

Para todos os amantes de embarcações, navegar é uma atividade que proporciona alguns dos melhores momentos em toda a vida. Porém, assim como qualquer outra atividade de natureza externa, ela pode deixar quem a pratica suscetível a acidentes, e é preciso estar preparado para isso. Como algumas vezes tomar todos os cuidados recomendados não é suficiente, ter um kit de primeiros socorros no barco é indispensável.

Somente com um kit de primeiros socorros completo você será capaz de prestar auxílio no caso de acidentes, prevenindo-os de serem ainda piores. Lembre-se que o acesso à água é consideravelmente mais complicado, o que pode fazer com que o socorro demore a chegar. Um atendimento prévio, portanto, faz toda a diferença.

Neste texto que a FS Yachts preparou para você hoje, nós iremos te ensinar a montar o kit de primeiros socorros perfeito para qualquer eventual situação. Além disso, também vamos descrever os tipos mais comuns de acidentes a bordo, para que você possa tratá-los com a ajuda do seu kit.

Quer garantir ainda mais segurança para seu passeio de barco? Então continue a leitura abaixo e confira!

 

Acidentes mais comuns a bordo

 

1. Cortes

Começamos com o mais frequente. Cortes são machucados que acontecem por diferentes motivos, desde acidentes com facas até materiais de pesca. Para aliviar as consequências de um corte mais profundo, o ideal é apertar o local com uma compressa para diminuir o sangramento — e deixá-lo protegido até que o atendimento médico chegue.

 

2. Hematomas

Em locais que balançam tanto quanto barcos, quedas são uma realidade e até acontecem com certa regularidade. Além do balanço, o espaço, que nem sempre é dos maiores, pode favorecer tropeços. O melhor que pode ser feito para aliviar um hematoma é a aplicação imediata de gelo na área e o uso posterior de uma pomada anti-inflamatória.

 

3. Queimaduras

Sim, elas também podem acontecer em uma embarcação! Os casos mais comuns são com a água quente da cozinha ou com o atrito de cabos. No primeiro caso, mantenha a área em contato com água fria para aliviar a dor. No segundo, lave imediatamente e passe pomada para queimaduras.

 

Montando o kit de primeiros socorros para barcos perfeito

Como você pôde ver nos exemplos acima, é preciso ter a posse de certos itens para poder tratar os mais diversos acidentes. A melhor maneira de reunir todos eles e tê-los sempre a postos em sua lancha é com a elaboração de um kit de primeiros socorros.

É claro que sempre existe a opção de comprar um kit pronto. No entanto, só você conhece a sua embarcação, as particularidades dela e sabe o que será mais útil para combater acidentes específicos. Para que você monte o seu próprio kit de primeiros socorros com um guia, siga a lista que a FS preparou abaixo:

  • Remédios contra enjoo;
  • Antialérgico;
  • Pomadas para queimaduras;
  • Gelo;
  • Aspirina e novalgina;
  • Imobilizadores infláveis;
  • Materiais para curativos (ataduras, esparadrapo e tesoura).

 

 

Conforme a necessidade, como alergias e outras condições mais particulares, você pode adicionar outros itens que julgar necessário. Porém, nunca deixe de contar com os citados acima. Assim você poderá ter passeios mais seguros e prevenidos. Gostou do texto? Para continuar recebendo conteúdo náutico de qualidade, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

Saiba como limpar o barco corretamente: um passo a passo

Compartilhe:

Você que possui sua embarcação sabe como é importante e até um prazer cuidar dela. Sua manutenção e outros cuidados são fatores extremamente importantes para assegurar conservação e vida longa. Outro fator relevante para isso, e sobre o qual falaremos hoje, é a limpeza. Limpar o barco, além de ajudar a preservar, garante a beleza e torna ainda melhor as experiências a bordo.

Contudo, é preciso saber limpar o barco. Não basta simplesmente pegar uma mangueira, jogar água por cima e pronto. As diferentes partes de uma embarcação exigem diferentes cuidados e processos. Pensando nisso, a FS Yachts trouxe para você um passo a passo de como limpar o barco corretamente.

Continue a leitura abaixo e veja como você pode limpar o seu barco do melhor jeito possível e cuidar ainda mais dele!

 

Guia de orientações para limpar o barco

 

  • Limpeza geral pós-uso

Todas as águas possuem seus próprios níveis de impurezas e sais, os quais têm o potencial de prejudicar sua lancha a longo prazo. Isso porque estas substâncias são corrosivas, o que reduz a vida útil de peças metálicas, por exemplo.

O recomendado para evitar a corrosão e, de quebra, manter o barco com aquela aparência de novo, é dar uma boa lavada nele após cada uso. Aplique um jato de água doce, depois um produto especial para o casco, como o Lava Lancha, e, por último, mais um jato para finalizar o processo.

 

  • Limpeza dos vidros

Para limpar o para-brisa do seu barco, nada melhor que um produto específico. O ideal aqui é a utilização de um detergente neutro náutico com cera de carnaúba. Um produto com tais características limpa e aplica uma proteção no vidro ao mesmo tempo.

Caso não seja possível usar um produto assim, procure por específicos para cada ação: um para limpar e outro para proteger. De qualquer forma, tenha certeza de que o vidro será limpo e ganhará uma proteção para conservar a limpeza e evitar a aderência de substâncias

 

  • Limpeza do costado

Todos que possuem uma lancha querem manter o costado sempre branquinho e lindo, não concorda? Para isso, o recomendado é a aplicação de um produto, o enxágue e a secagem. Novamente, o Lava Lancha, da Nautispecial, é um ótimo exemplo de produto que pode ser utilizado para esta limpeza.

Por outro lado, se o costado do seu barco já está perdendo o branco original e começando a ficar amarelado, existem outros produtos, estes específicos para ajudar na recuperação da cor.

 

  • Limpeza das articulações

Não se esqueça desse detalhe! As articulações e dobradiças das portas e comportas de um barco são itens menores, mas que demandam a mesma atenção que o restante. Até porque ninguém merece ter que ficar lidando com travamentos que podem até causar acidentes, certo?

Assim como os anteriores, procure produtos próprios para isso. O ideal para este caso é um silicone náutico. Com suas propriedades, ele previne travamentos e corrosões. Basta usar o produto a cada 3 meses e seus problemas com dobradiças estarão solucionados.

 

Bônus: depois de limpo, proteja seu barco com uma capa

Mesmo que você abrigue sua lancha em uma marina, é importante que ele permaneça com uma capa ou um toldo após cada lavagem que você fizer. Nem mesmo os espaços cobertos disponibilizados pelas marinas estão completamente livres da ação do tempo e da umidade.

 

 

Como você pôde ver, ainda que limpar o barco exija certos cuidados e passos e produtos específicos, o processo de limpeza pode ser feito por qualquer um que queira cuidar bem da sua embarcação. Gostou deste passo a passo? Para continuar acompanhando a FS Yachts, siga nosso Facebook e Instagram!

5 mitos náuticos que você deve esquecer completamente

Compartilhe:

Em um universo tão vasto e complexo quanto o da náutica, é comum que existam mitos e outras histórias que simplesmente não são verdadeiras. Por diversas razões, muitas dessas mentiras são tomadas como verdades absolutas, pondo em risco a integridade de pessoas. Portanto, é preciso combater os mitos náuticos.

Nesta lista que a FS Yachts trouxe para você hoje, nós iremos desmistificar algumas das principais histórias tomadas como verdade. Se você quer saber quais são os mitos náuticos que você deve esquecer agora mesmo, confira mais abaixo!

 

5 mitos náuticos que devem ser esquecidos

 

1. Navegar em águas abrigadas não é difícil

Por comparação, muitos tendem a pensar que a navegação em águas abrigadas é algo fácil e que não exige a mesma atenção que um oceano, por exemplo. A verdade é que, apesar das diferenças e dos oceanos realmente terem seus desafios singulares, navegar em águas abrigadas pode ser tão complicado quanto.

Dependendo do lugar e das condições do tempo, é preciso ter a atenção redobrada. Como a FS Yachts já te contou neste texto, acompanhar a previsão do tempo quando for planejar uma navegação é essencial para garantir o sucesso do passeio e a segurança dos envolvidos. Portanto, fique atento também na hora de navegar em águas abrigadas.

 

2. Bons nadadores não precisam de colete salva-vidas

Ainda que não sejam os equipamentos mais confortáveis do mundo, os coletes salva-vidas são indispensáveis. Sempre que qualquer pessoa estiver a bordo, ela deve estar vestindo um, independente do quão bem ela nada. Isso porque é impossível prever quando um acidente irá acontecer: qualquer um pode vir a cair da embarcação.

Para que você tenha uma noção da relevância dos coletes, basta olhar as estatísticas. De todas as mortes por afogamento, 90% das vítimas não estava usando um. Dependendo da queda e da temperatura da água, a confusão pode ser grande, impedindo que a vítima nade como ela faria normalmente. Nunca subestime a importância de um colete!

 

3. O combustível do barco pode ser o mesmo que o do carro

Assim como a previsão do tempo, a FS Yachts também já te explicou tudo sobre a diferença entre combustíveis e quais são os melhores para embarcações. No entanto, muitos tendem a pensar que não existe diferença e que está tudo bem em usar os mesmos combustíveis.

Tome como exemplo o etanol. Ele, por ser uma substância higroscópica, absorve a umidade da água. Como tanques de carros são fechados e seus combustíveis são substituídos com maior frequência, isso não é um problema para eles.

Porém, no caso de barcos a situação muda. Motores de popa, os mais comuns, são expostos, tendo contato direto com a água. A absorção dessa água por parte do etanol pode causar muitos problemas ao tanque e ao motor do barco.

 

4. Beber em alto mar não é um problema quando se tem um piloto

Aqui temos um dos mais graves mitos náuticos. Muitas pessoas acham que, só porque elas não estão à frente da embarcação, a ingestão de bebidas alcoólicas está liberada. Isso é um equívoco grave. Números mostram que quase metade dos acidentes em lanchas estão ligados ao consumo de álcool.

E nós nem precisamos ir tão longe quando falamos em acidentes: escorregões e quedas dentro do próprio barco podem causar estragos consideráveis. Isso sem contar as quedas para fora da embarcação, as quais são ainda mais perigosas. Para evitar problemas, beba somente quando a lancha estiver atracada.

 

5. Pilotar um barco é a mesma coisa que um carro

Este é um mito muito conhecido e reproduzido por quem quer começar a navegar e ainda não está familiarizado com o assunto. A primeira grande diferença aqui é a água, quando comparada ao asfalto. Ela está sempre se movendo, ou seja, a influência do vento faz com que não seja preciso simplesmente pisar no freio (como em um carro) para parar.

Além disso, as sinalizações e regras de navegação são consideravelmente mais complexas, o que faz com que uma simples confusão seja capaz de causar um enorme acidente. Nesse caso, qualificação e habilitação adequadas são imprescindíveis.

 

 

Conhecer mitos náuticos e saber por que eles não são verdadeiros é essencial para garantir a segurança de uma navegação. Gostou do texto de hoje? Para continuar lendo conteúdos como este, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

4 ideias de presentes náuticos para este Dia das Mães

Compartilhe:

Neste final de semana teremos o dia no qual homenageamos elas que são tão importantes em nossas vidas – o Dia das Mães. É a melhor data para mostrarmos a diferença que elas fazem em nosso dia a dia e, é claro, presenteá-las com algo único e especial. E, para as mães que gostam tanto de estar a bordo quanto nós, por que não investir em presentes náuticos?

Se você ainda não escolheu o presente perfeito para a sua mãe, talvez alguma destas dicas que daremos abaixo pode te ajudar a ter a ideia que você estava precisando. Afinal, se elas sempre compartilharam tudo conosco, nós também podemos – e devemos – compartilhar nossos maiores momentos de lazer com elas.

A boa notícia aqui é que a gama de opções para presentes náuticos é altamente variada, indo desde acessórios diversos até aulas de modalidades aquáticas. Qualquer que seja a sua escolha, existem alternativas para agradar todos os tipos de mães.

No pequeno guia que a FS Yachts trouxe para você (e sua mãe) hoje, nós te daremos ideias de presentes náuticos perfeitos para este Dia das Mães. Caso você ainda esteja escolhendo o seu, suas dúvidas acabam agora! Continue a leitura abaixo e veja algumas das nossas sugestões!

 

4 ideias de presentes náuticos

 

1. Aulas de barco/Aulas de Arrais Amador

Você provavelmente já levou sua mãe para um passeio de barco com você ou até mesmo com toda a família, certo? Esses momentos costumam ser os melhores para qualquer dono de embarcação. E, se sua mãe gostou e gosta de estar no mar, por que não ajudá-la a ter a capacidade de navegar por conta própria também?

Aulas práticas de Arrais Amador, categoria mais básica de habilitação náutica e que permite a navegação em águas abrigadas, são uma boa ideia de presente que com certeza deixará qualquer mãe surpresa.

 

2. Almoço/Jantar especial a bordo

Mais uma opção de presente não material, levar a sua mãe para um almoço ou um jantar surpresa no seu barco é uma ideia diferente que pode render memórias para a vida toda. A ideia aqui é caprichar: servir o melhor banquete com as melhores bebidas e oferecer tudo que ela merece.

Para estender o passeio, uma ideia é fazer uma programação de um dia inteiro passeando com o barco, o que pode incluir, além das refeições, outras atividades.

 

3. Aulas de esportes aquáticos

Para as mães mais radicais, mais uma ideia de aulas, mas dessa vez de esportes. Algumas das modalidades mais praticadas são esqui aquático, wakeboard e wakesurf. Qualquer que seja a escolha, a adrenalina estará garantida.

 

4. Uma lancha

Tudo bem, cada um dos planos que sugerimos podem ser feitos com o uso do seu próprio barco, mas você não acha que sua mãe também adoraria ter o dela? Caso ela ainda não tenha muita experiência, apesar da vontade, existem diversas opções de embarcações de entrada, como a FS 180.

Se você acha que qualquer um dos outros presentes náuticos seriam grandes surpresas, este seria, sem dúvidas, a maior de todas.

 

O Dia das Mães está logo ali. E você, já comprou seu presente? Gostou das nossas ideias de presentes náuticos? Para ver mais conteúdos como este e envolvendo tudo sobre o mundo náutico, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

Comprar carro ou lancha? Algumas diferenças e similaridades

Compartilhe:

Quando procuram pela primeira embarcação, muitas pessoas ficam com dúvidas a respeito de valores. Afinal, além do investimento inicial de compra, há a manutenção, a qual muitos acreditam ter custo elevado. No entanto, ao compararmos minuciosamente preços iniciais, manutenções e seguros, fica claro que o custo para comprar e manter um carro geralmente sai mais caro que o custo para comprar e manter uma lancha.

Para se ter uma ideia, enquanto o custo do seguro anual de um barco corresponde de 0,5 a 2% do seu valor total, o seguro de um carro é de 2% a 8% do valor do veículo. Além disso, devemos considerar também o gasto com IPVA, inexistente no caso de lanchas.

Para esclarecer qualquer questionamento envolvendo o assunto, nós faremos comparações pontuais entre modelos de carros e lanchas FS. Alguns dos aspectos analisados serão o preço de compra de cada modelo por ano de lançamento e o custo com seguros e taxas anuais. As comparações feitas serão as seguintes:

 

  • FS 180 x Renault Fluence Sedan Privilége 2.0 16V FLEX Aut

 

  • FS 230 Scappare x Ford Ranger Limited 3.2 20V 4×4 CD Aut. Diesel

 

  • FS 290 Concept x Chevrolet Camaro SS 6.2 V8 16V

 

Vale citar que os dados a respeito das embarcações foram retirados da Tabela Bombarco e de anúncios de classificados on-line. Já os dados a respeito dos carros vieram diretamente da Tabela Fipe.

Consideramos também custos de deságio, seguro, IPVA, e marina (no caso dos barcos). Não foram considerados custos de revisão e manutenção mecânica pois dependem muito do perfil de uso e, principalmente, são muito próximos entre carros e embarcações.

Acompanhe cada comparativo conosco abaixo:

 

FS 180 x Renault Fluence Sedan Privilége 2.0 16V FLEX Aut

 

carro x lancha

 

Comercializado no Brasil desde 2011, o Renault Fluence é conhecido por ser um modelo que combina bom espaço interno com oferta de equipamentos e preço justo. A FS 180, por sua vez, é a lancha de entrada da FS Yachts, e oferece espaço para 7 pessoas a bordo, podendo navegar por um dia inteiro com um terço de tanque – 25 litros de gasolina. Confira abaixo uma tabela comparando os dois modelos:

FS 180 Fluence
2019 NOVA R$ 101.108,00 R$ 104.105,00
2018 R$ 91.787,00 R$ 86.525,00
2017 R$ 84.994,76 R$ 71.857,00
2016 R$ 78.202,52 R$ 63.237,00
2015 R$ 71.410,28 R$ 59.210,00
2014 R$ 64.618,04 R$ 49.515,00
2013 R$ 57.805,47 R$ 43.553,00
 

 

Custo Seguro 2019 R$ 2.000,00 R$ 4.600,00
Custo IPVA R$ 0,00 R$ 1.561,58

 

Deságio

Tanto o carro como a lancha possuem preços de compra muito próximos, na faixa de 100 mil reais. No entanto, após 6 anos de uso, o valor de mercado do carro cai cerca de 60%, enquanto o valor de mercado da embarcação cai aproximadamente 40%. O mais impressionante é o deságio inicial do 1° ano: enquanto a FS 180 desvalorizou 9%, o carro desvalorizou 17%, quase o dobro.

 

Custo Total

Ao final dos mesmos 6 anos de uso, por exemplo, o carro custou 60 mil reais em depreciação, 27.000 reais em seguro e 9.000 reais em IPVA, totalizando 96.000 reais.

Enquanto isso, a embarcação custou 43.000 reais em depreciação e 12.000 reais em seguro, totalizando 55.000 reais, um custo 57% inferior ao de um carro no mesmo período, ou aproximadamente R$764 / mês.

Repare que o custo de marina não foi considerado, pois a FS 180 geralmente é guardada em residência.

 

FS 230 Scappare x Ford Ranger Limited 3.2 20V 4×4 CD Aut. Diesel

 

carro x lancha

 

A Ford Ranger é apresentada pela montadora como uma das opções de picape média no mercado brasileiro. Algumas de suas características são conforto, segurança, conjunto mecânico potente e recursos altamente tecnológicos.

Oferecendo muita inovação, a FS 230 Scappare possui um casco equilibrado para 10 pessoas a bordo, permitindo navegações velozes em águas abrigadas sem abrir mão do conforto e segurança em águas costeiras. Veja abaixo a tabela de comparação:

FS 230 SCAPPARE Ford Ranger
2019 NOVA R$ 188.350,00 R$ 176.329,00
2018 R$ 179.879,00 R$ 155.547,00
2017 R$ 158.227,00 R$ 142.958,00
2016 R$ 136.575,00 R$ 128.878,00
2015 R$ 129.746,00 R$ 110.247,00
2014 R$ 123.258,00 R$ 98.301,00
2013 R$ 117.096,00 R$ 91.166,00
 

 

Custo Seguro 2019 R$ 3.200,00 R$ 5.500,00
Custo IPVA R$ 0,00 R$ 2.644,94

 

 

Custo Total (sem marina):

Uma Ford Ranger a diesel, nova, em 6 anos terá custado aproximadamente 133.000 reais entre depreciação, seguro e IPVA.

Uma FS 230 Scappare, nova, em 6 anos, terá custado aproximadamente 90.000 reais entre depreciação e seguro. Não há incidência de IPVA. Um custo de aproximadamente R$1.250/mês.

 

Custo Total (com marina):

Caso a FS 230 Scappare fique em uma marina durante este período, gastará um total de 154.800, passando o custo total da Ford Ranger, porém com a comodidade e conveniência de uma marina. Um custo mensal de R$2.150/mês.

 

FS 290 Concept x Chevrolet Camaro SS 6.2 V8 16V

 

carro x lancha

 

Muito difundido no imaginário do consumidor brasileiro, o Chevrolet Camaro é o principal modelo superesportivo vendido por aqui. Presente no país desde 2010, é muito conhecido pelo clássico modelo com pintura amarela e listras pretas.

Para bater de frente nessa briga de gigantes, temos a FS 290 Concept. Utilizando formas geométricas vivas, linhas esculturais, refinado acabamento e cores externas de uma maneira sem par, o modelo se destaca em todos os segmentos. Como se o design único não fosse suficiente, a FS 290 Concept também foi eleita pela Revista Náutica o destaque na categoria Conforto à Bordo.

Confira a tabela abaixo:

FS 290 CONCEPT Camaro
2019 NOVA R$ 332.878,00 R$ 304.645,00
2018 R$ 313.981,00 R$ 271.715,00
2017 R$ 292.560,00 R$ 263.512,00
2016 R$ 271.139,00 R$ 212.852,00
2015 R$ 249.718,00 R$ 162.192,00
2014 R$ 228.297,00 R$ 147.763,00
2013 R$ 206.876,00 R$ 128.332,00
 

 

Custo Seguro 2019 R$ 4.900,00 R$ 12.820,00
Custo IPVA R$ 0,00 R$ 4.569,68

 

 

Custo Total (com marina):

O Camaro, em 6 anos, terá custado aproximadamente 280.000 reais entre deságio, seguro e IPVA, um total de R$3.894/mês.

Uma FS 290 Concept, em 6 anos, terá custado aproximadamente 239.000 reais, cerca de R$3.318/mês, já incluso o valor de marina.

 

Afinal – comprar carro ou lancha?

Como você pôde ver em nossas tabelas comparativas, na maioria dos casos adquirir uma embarcação sai muito mais barato do que imaginamos, mais barato inclusive do que os valores que já estamos acostumados a pagar em carros.

Quando adicionamos os fatores seguro e IPVA, as embarcações apresentam ainda mais vantagens. Se sua dúvida diz respeito aos preços, você já sabe qual é a melhor opção.

É claro, porém, que a funcionalidade de uma embarcação é completamente diferente do objetivo pelo qual adquirimos um carro. Enquanto o carro é um meio de transporte, a lancha é o nosso momento de lazer. Mas o objetivo deste artigo não é definir qual o melhor, e sim ajudar a quebrar o paradigma de que embarcações custam muito em sua manutenção.

Se você ainda tem dúvidas em relação ao quanto e para qual finalidade usar o seu barco ou onde navegar, você pode conferir nossas matérias sobre os assuntos clicando nos links.

Gostou do comparativo que a FS Yachts trouxe para você hoje? Já sabe que comprar – carro ou lancha? Caso tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato conosco! Nós estamos prontos para atendê-lo!

Cabinada ou proa aberta: qual a lancha ideal para mim?

Compartilhe:

Quando o assunto é o primeiro barco, é comum que exista uma série de questionamentos. E, na maioria das vezes, a principal das dúvidas diz respeito à lancha ideal para cada um. Por mais que se defina o tamanho desejado, a faixa de preço e os hábitos de uso, algumas outras características da embarcação podem fazer toda a diferença.

É exatamente aí que entra a pergunta: cabinada ou proa aberta? Para uma pessoa que está começando no mundo náutico, a questão pode, a princípio, até passar despercebida. No entanto, ela influenciará todos os aspectos da navegação, desde a quantidade de pessoas a bordo até o tempo de passeio.

Se você está querendo comprar o primeiro barco e ainda tem dúvidas sobre qual é a sua lancha ideal, o texto de hoje foi feito pensando em você! Ele aborda as principais diferenças entre lanchas de proa aberta e com cabines e qual é o recomendado para cada caso. Confira abaixo!

 

lancha ideal cabinada

 

A diferença entre cabinada e proa aberta

A dúvida entre lanchas cabinadas ou de proa aberta é recorrente em quem quer comprar um barco pequeno. Mais do que uma questão de design, a definição é importante porque afeta o tipo de passeio, quantidade de pessoas a bordo e autonomia.

 

Cabinada

Lanchas cabinadas são aquelas cujas proas são fechadas com uma cabine. Perfeita para viagens maiores, como de dias inteiros ou pernoites, elas também são mais confortáveis se o proprietário deseja levar filhos.

Este tipo de embarcação costuma ser a mais completa no quesito acomodações. Diferentes salas, suítes e cabines, sofás, camas, cozinhas, equipamentos de som, ar condicionado e tantos outros recursos dignos de casas são alguns exemplos do que está presente em cabinadas maiores.

Via de regra, quem busca uma embarcação cabinada de pequeno ou médio porte, como uma FS 215, FS 230 Scappare, FS 265 Element ou FS 290 Concept, por exemplo, são famílias com filhos que buscam espaços de conforto para usar o banheiro com privacidade, para se trocar, para um eventual pernoite e, principalmente, para acomodar os filhos quando se cansarem ou caso entre um mau tempo durante o passeio.

A integração de uma cabine com televisão e microondas, então, permite que se possa esquentar comida e acomodar as crianças por muito tempo a bordo, o que garante mais autonomia no passeio e mais segurança.

E, para completar, as lanchas cabinadas tem um diferencial que poucos notam: o espaço de proa não é perdido, pois acima da cabine há um enorme espaço com almofadas de proa onde as pessoas podem se deitar para tomar sol (com a embarcação parada).

 

lancha ideal cabinada 2

 

Proa aberta

Já estas são caracterizadas pela ausência de cabine na proa. Indo na direção contrária das cabinadas, as lanchas de proa aberta são uma ótima opção para passeios diurnos, sem a pretensão de pernoite no barco.

Como o local que nas cabinadas é atribuído à cabine fica livre, sem necessidade de escada para acessar a proa, as lanchas de proa aberta acabam sendo mais espaçosas. São perfeitas para quem quer acomodar um número maior de pessoas, seja para curtir uma volta em família ou festas com amigos.

Embarcações até 20, 21 pés de proa aberta geralmente não tem banheiro, mas a partir de 23 pés – como a FS 230 Sirena – já contam com banheiro com ducha e vigia.

 

lancha ideal proa aberta

 

A lancha ideal para quem está começando

Você pôde ver acima que a lancha ideal sempre dependerá primordialmente do uso que será feito dela. Como já citamos em outro texto, o tipo de navegação mais comum no Brasil é o de passeio diurno, em um dia do final de semana, saindo pela manhã e retornando no final da tarde.

É claro que nem todos se aplicam à regra, porém se esse for o seu caso, o indicado é que você invista em uma lancha de proa aberta. Se você vai navegar com família e filhos pequenos, ou pretende prolongar suas viagens e passar noites curtindo tudo que a embarcação tiver para oferecer, uma lancha cabinada pode ser uma opção interessante.

 

lancha ideal proa aberta 2

 

Gostou do nosso texto de hoje? Acompanhe as redes sociais da FS Yachts e receba todos os nossos conteúdos! Nós estamos no Facebook e no Instagram!

Quanto combustível uma lancha consome em média?

Compartilhe:

Você está pensando em comprar uma lancha. Já leu diversos artigos a respeito, pesquisou sobre os tamanhos e preços e está perto de decidir qual modelo é o mais recomendado para o seu caso. Porém, continua curioso sobre aqueles mitos náuticos como o de consumo de combustível? Leia mais abaixo.

 

O consumo de combustível de uma lancha

O consumo de combustível é uma constante, e por isso é preciso ter uma boa noção do quanto cada tipo de embarcação precisa em um passeio. Afinal, é de extrema importância ter um pouco de combustível a mais no tanque para garantir uma viagem segura, o que reforça a necessidade de conhecer pelo menos alguns destes números.

Vale frisar que, graças à existência de diferentes tipos e quantidades de motores e à variação de tamanhos de embarcações, o consumo varia. O mesmo motor em uma lancha de 23 pés e em uma de 26 pés não terá o mesmo rendimento, já que os tamanhos exigem forças diferentes.

Pensando nisso, hoje trouxemos dados de consumo referentes a lanchas de 18, 20, 21, 23, 26, 29, 32 e 36 pés. Para facilitar a comparação, consideramos motores a gasolina e diesel (nos motores centro-rabeta), em velocidade de cruzeiro (22 milhas por hora).

Todas as informações foram obtidas pelo site http://www.boat-fuel-economy.com/ e em testes realizados em embarcações FS Yachts. Confira:

 

 

  • 18 pés (motor de popa, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor de popa de 90 ou 100 hp. O consumo médio destes motores é similar, consumindo cerca de 12.4 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 1.8 milhas/litro. Portanto, um passeio normal durante o dia, com 2 horas de motor ligado, consumirá cerca de 25 litros de gasolina.

 

lancha 18 pés

 

 

  • 20/21 pés (motor de popa, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor de popa de 115hp. O consumo médio deste motor é de 14.1 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 1.6 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 28 litros.

 

lancha 20 21 pés

 

 

  • 23 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização habitual de lanchas deste tamanho é composta por um motor de centro-rabeta de 200hp, sendo o Mercury Mercruiser 4.5L 200hp V6 o mais comum, com a rabeta Alpha One (um hélice de Inox). Seu consumo médio é de 25 litros por hora, a 3.000rpm, com rendimento de aproximadamente 0,9 milhas por litro. Portanto, um passeio comum consome 50 litros de gasolina

 

 

  • 23 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 23 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.0 170hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 13 litros/hora, a 2.500 rpm. O rendimento é de aproximadamente 1.7 milhas por litro. Portanto, um passeio comum consome 26 litros de óleo diesel.

 

lancha 23 pés

 

 

  • 26 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor centro-rabeta a gasolina de 250hp, sendo o Mercruiser 4.5L V6 250hp com rabeta Alpha One o mais comum. O consumo médio deste motor é de 30.6 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 0.7 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 60 litros de gasolina.

 

 

  • 26 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 26 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 22 litros/hora, a 3.000 rpm. O rendimento é de aproximadamente 1 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 44 litros de óleo diesel.

 

lancha 26 pés

 

 

  • 29 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor centro-rabeta a gasolina de 250hp, sendo o Mercruiser 4.5L V6 250hp com rabeta Bravo Three o mais comum, e o Mercruiser 6.2L 300hp V8 com Rabeta Bravo Three a opção mais potente, para alto desempenho.

O consumo médio do 250hp V6 é de 30.6 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 0.7 milhas/litro. O motor 300hp V8, no entanto, consome 37.5 litros/hora a 3.500rpm, mas entrega mais velocidade. Portanto, um passeio normal consome entre 60 a 75 litros de gasolina.

 

 

  • 29 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 29 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 30 litros/hora, a 3.200 rpm. O rendimento é de aproximadamente 0,7 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 60 litros de óleo diesel.

 

lancha 29 pés

 

 

  • 32 pés (dois motores centro-rabeta, gasolina)

 

As lanchas acima de 30 pés geralmente são equipadas com dois motores centro-rabeta. No caso da FS 320, por exemplo, o conjunto mais comum a gasolina é a parelha Mercruiser 4.5L 250hp V6 com rabetas Bravo Three. O consumo médio de cada motor 250hp V6 é de 30.6 litros/h a 3.500rpm. O consumo total da lancha, portanto, vai ficar em 60 litros/hora. O rendimento fica em 0,37 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 120 litros de gasolina.

 

 

  • 32 pés (dois motores centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 32 pés com motores centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria a parelha Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. O consumo médio de cada motor é de 22 litros/hora, a 3.000 rpm, e portanto o consumo total fica em 44 litros/hora. O rendimento é de aproximadamente 0,5 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 88 litros de óleo diesel.

 

lancha 32 pés

 

 

  • 36 pés (dois motores centro-rabeta, gasolina)

 

As lanchas acima de 30 pés geralmente são equipadas com dois motores centro-rabeta. No caso da FS 360, por exemplo, o conjunto mais comum a gasolina é a parelha Mercruiser 6.2L 300hp V8 com rabetas Bravo Three. O consumo médio de cada motor 300hp V8 é de 37.5 litros/h a 3.500rpm. O consumo total da lancha, portanto, vai ficar em 75 litros/hora. O rendimento fica em 0,3 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 150 litros de gasolina.

 

 

  • 36 pés (dois motores centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 36 pés com motores centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria a parelha Mercruiser TDI V6 260HP DTS com rabeta Bravo Three. O consumo médio de cada motor é de 30 litros/hora, a 3.000 rpm, e portanto o consumo total fica em 60 litros/hora. O rendimento é de aproximadamente 0,37 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 120 litros de óleo diesel.

 

Gostou do nosso conteúdo de hoje? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a FS Yachts, nós estamos sempre prontos para atendê-lo!

Por que 6 em cada 10 lanchas no Brasil têm menos de 26 pés?

Compartilhe:

O relatório da ACOBAR (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos)  mostrou que o número de embarcações de passeio e recreio no país é de aproximadamente 70.000, sendo que 83% delas eram lanchas. Uma informação complementar do mesmo relatório revelou que mais da metade desses barcos tinha até 26 pés.

lanchas brasil tamanho

Muitos são os fatores que influenciam a procura expressiva pelas lanchas menores, entre eles o preço e a praticidade. Por mais que barcos maiores sejam mais potentes e contem com mais instalações, muitas vezes não são a melhor opção pra maioria das pessoas. Entenda!

 

Barcos maiores são melhores?

Existe um senso comum de que o tamanho do barco é proporcional à sua qualidade. No entanto, dificilmente isso acontece. Como você sabe ou deve imaginar, grandes embarcações entregam mais conforto em situações específicas, mas também exigem cuidados redobrados.

Tome como exemplo: considerando que a sua intenção seja aproveitar passeios de final de semana, a facilidade de uso de uma lancha menor compensa. Embarcações com menos de 26 pés são muito mais fáceis de se  atracar e pilotar, além de acelerarem mais rápido e consumirem menos combustível.

 

Por que lanchas de até 26 pés podem ser a escolha ideal para você também?

Para que você entenda um pouco melhor outros aspectos (além da facilidade e da capacidade) de embarcações menores, nós trouxemos algumas das vantagens que elas apresentam em relação às grandes. Confira:

 

  1. Custo de manutenção

 

O tamanho dos barcos influencia diretamente o preço deles. Por vezes, pode ser tentador adquirir uma lancha maior usada pelo mesmo preço de uma nova menor. Para se ter uma ideia, você encontrará algumas opções de lanchas de 30 pés com 10 ou mais anos de uso pelo mesmo preço de uma FS 230 nova.

Porém preço da manutenção não será igual; continuará sendo aproximadamente o dobro do custo de manutenção de uma FS 230. A complexidade de manutenção acompanha o crescimento: quanto maior e com mais atributos a lancha for, mais equipamentos e espaços para cuidar.

lanchas manutenção

 

  1. Capacidade de pessoas

Outro fato que mostra como embarcações maiores não são necessariamente melhores é a capacidade. Enquanto um barco de 26 pés é homologado para levar 12 pessoas a bordo, uma de 64 pés (que é quase 3x mais comprida, 15x mais pesada e 30x mais cara) comporta somente 16 pessoas. Ou seja, o aumento no tamanho do barco não é proporcional à capacidade de pessoas.

lanchas capacidade

 

  1. Presença de marinheiro

Em embarcações com tamanho acima de 35 pés, é muito difícil sair sem um marinheiro. Devido ao tamanho do barco, é necessário auxílio para atracar, ancorar e realizar outras tarefas durante a navegação. Por isso, se você busca sair sem preocupações e com mais privacidade, talvez um barco menor lhe atenda melhor.

lanchas marinheiro

 

  1. Reboque

Lanchas de até 23 pés oferecem uma vantagem interessante: você pode rebocá-la em uma carreta rodoviária. Desta forma, você pode até mesmo guardar sua lancha em casa ou no rancho, economizando nos custos de marina, e colocando a embarcação para rodar em regiões que não tem marinas.

lanchas reboque

 

  1. Prática de esportes

Não podemos nos esquecer dos esportes aquáticos. Muitos proprietários de lanchas são adeptos deste tipo de atividade, estando entre as mais comuns wakeboard, esqui e bóia. É muito mais prático e barato fazer esportes em uma lancha menor, pois é mais rápido atingir a velocidade de planeio, consome menos combustível e a marola que a lancha gera é muito melhor para a prática.

lanchas esportes

 

  1. O uso da embarcação

É muito mais comum no Brasil se utilizar a lancha para passeio diurno. O típico passeio de barco é: saída até as 9h da manhã, churrasco a bordo no almoço, passeio e wakeboard à tarde, e retorno no final do dia. Essa rotina é favorecida por todas as características que citamos, tornando barcos de até 26 pés ideais para a maioria dos brasileiros.

Ainda que aconteçam, são mais raros os casos de pessoas que dormem a bordo e buscam mais opções de conforto, oferecidas por embarcações grandes, para pernoite.

lanchas uso

 

Está em dúvida?

Então, se você ainda não tem certeza se opta, por exemplo, por uma lancha de 23 pés nova ou uma 30 pés usada, considere o seguinte:

  • Vou usar somente durante o dia, ou pretendo dormir a bordo?
  • Vou levar quantas pessoas a bordo? Pretendo levar mais de 10 ou 12 pessoas sempre?
  • Qual vai ser meu destino mais comum? Pego muito mar aberto pra chegar lá ou é uma navegação mais tranquila?

Respondendo essas 3 perguntas, você saberá se realmente precisa de uma lancha maior que a média.

 

Gostou do nosso conteúdo de hoje? Para continuar acompanhando nossos materiais, siga a FS Yachts no Facebook e no Instagram!