Transporte de lancha: Saiba como é feito

Compartilhe:

A compra de um  barco é uma realização para a maioria das pessoas, porém após adquirir a tão sonhada embarcação é preciso pensar em como fazer o transporte de lancha até o local que você irá guardar o barco. É nesse instante que surgem algumas dúvidas: a empresa responsável pela venda é quem deve fazer o transporte ou devo contratar uma empresa por fora? Como o deslocamento é realizado? 

A FS Yachts sempre preocupada em compartilhar informações que auxiliem você a aproveitar cada detalhe de sua lancha preparou esse texto com as respostas para essas perguntas. Afinal, em muitos casos, a embarcação é comprada num local. No entanto, o barco será utilizado em outra localidade. 

 

Confira abaixo as nossas principais dicas para o tema! 

 

Boa leitura! 

 

Conheça algumas das regras obrigatórias para o transporte de lancha 

 

Assim como ocorre com o transporte dos automóveis para chegar às concessionárias, com os barcos não é diferente. É necessário seguir regras de trânsito para o deslocamento seguro da embarcação, para que ele não interfira no fluxo normal das estradas – causando congestionamento – já que a velocidade média do guincho para transporte não pode ser alta.  Para isso, o transporte de lancha deve seguir velocidade e horários indicados. 

O barco precisa ser transportado por um veículo apropriado, rastreado e que ofereça cobertura contra acidentes, por exemplo. De acordo com as normas brasileiras, embarcações acima de 40 pés, com 5.30m de altura e 3.20m de largura podem trafegar somente pelas rodovias entre 6 da manhã e 18h da tarde.  

 

Procure uma empresa especializada 

A primeira etapa para o transporte de lancha é buscar uma empresa especializada para a condução (caso a empresa responsável pela venda não faça o deslocamento). Somente uma firma regularizada e responsável fará o transporte com toda segurança e proteção para sua lancha. 

Como sabemos transportar uma lancha não é uma tarefa fácil e que pode ser realizada por qualquer empresa. É preciso planejamento e pesquisa, principalmente para saber se o trajeto não será interrompido por árvores e fios elétricos – dependendo do tamanho do barco. Nesse caso, apenas uma transportadora experiente pode colaborar. 

Portanto, antes de contratar a empresa é fundamental verificar se o veículo de transporte suporta o tamanho da sua embarcação e quais os itens que estão assegurados no acordo do serviço. Assim, você terá certeza de deixar a sua lancha em boas mãos até o ambiente onde será atracada. 

 

Quais os principais custos? 

O transporte de lancha, assim como já citamos no texto, é algo que requer cuidado e atenção, pois estamos falando na condução de um produto atípico, que necessita de um veículo especial. 

Portanto, sua locomoção pode parecer um custo elevado, com a contratação do guincho, as licenças para transporte exigidas pelo DER/DNIT e, em alguns casos, a escolta credenciada. Porém, ele não foge percentualmente do custo de transporte de qualquer outro produto. 

 

Agora que você já sabe como acontece o transporte de lancha, que tal conhecer os modelos de embarcações da FS Yachts? Siga nossas redes sociais: Facebook e Instagram e saiba as nossas novidades e lançamentos.

7 dicas de como testar o barco antes de comprá-lo

Compartilhe:

Realização de sonho, oportunidade de lazer com a família e amigos e prática de esportes são as principais características buscadas com a compra da primeira lancha. No entanto, antes de realizar a compra da embarcação, é preciso tomar alguns cuidados para que você não tenha prejuízos depois; o primeiro deles é testar o barco. 

Assim como antes de adquirir um automóvel existe o test-drive, para compra de uma lancha não é diferente. Ao testar o barco é possível perceber a potência do motor, conhecer a marca, seus acessórios, tipo de combustível, enfim, como a embarcação se comporta enquanto navega.

Ao saber todas essas informações é viável realizar uma compra segura, tendo a certeza de ter feito uma boa aquisição. Lembrando, claro, de procurar uma empresa confiável e com reconhecimento no mercado náutico, assim como a FS Yachts.  

 

Para que você entenda quais características levar em conta na hora de testar o barco antes de comprá-lo, a FS separou 7 dicas importantes. Confira o que cada uma diz, abaixo! 

 

Vale citar: Antes de testar o barco na água é importante saber que deve-se levar poucas pessoas para realizar o teste. Deste modo, com a embarcação menos pesada é possível sentir a força e desempenho da lancha. 

 

Principais dicas para testar o barco antes de comprá-lo

 

1. Tempo de velocidade de planeio

A primeira etapa para testar o barco antes de finalizar a compra é verificar o tempo de velocidade de planeio, que nada mais é do que o tempo que a embarcação leva para planar sobre a água.

Para isso, pare o barco e após todos os passageiros estarem seguros, coloque a aceleração máxima e veja se o barco sofre muito para atingir o planeio. Se sim, provavelmente a embarcação não está configurada com uma motorização adequada ou então que a própria navegação não seja a indicada. 

 

2. Teste de direção

Para realizar esse e os demais testes antes de adquirir um barco o indicado é que a lancha esteja em velocidade de cruzeiro (velocidade ideal para determinado percurso, no qual é possível manter ela máxima e constante) para uma melhor avaliação da embarcação.

Para testar o barco em relação à direção é importante verificar se o timão não está puxando a lancha muito para um lado ou para outro. Caso isso não aconteça, solte a direção por alguns instantes e veja se a embarcação se mantém firme. 

O barco estável, que não apresenta variações, significa que está em equilíbrio tanto o seu casco, motor ou passo de hélice. No entanto, se o barco pendular para lado ou outro, a embarcação pode necessitar de ajustes. Portanto, procure por um barco que não conte com essas ocorrências. 

 

3. Teste de adernamento

O adernamento significa o barco pendular de um lado para o outro quando há movimentação dos tripulantes.

Por isso, quando for testar o barco, peça para que os passageiros se movimentem na lancha de um bordo para outro. Caso não haja variações, significa que o casco está bem desenhado, equilibrado e testado. 

O excesso de adernamento compromete não somente o desempenho e conforto do barco, como também pode causar enjoo e insegurança nos passageiros.

 

4. Curvas

Para testar o barco neste item o indicado é fazer curvas abertas e fechadas para analisar como a lancha se comporta durante as curvas. O ideal é que ela se mantenha firme na curva, com o leme sempre “na mão” e sem gerar uma sensação de que o barco irá virar.  

 

5. Consumo

Antes de comprar uma embarcação é fundamental saber seu consumo de combustível. Nesse caso, consulte o site www.boat-fuel-economy.com para apurar o tipo de motor do barco que você deseja adquirir e quanto ele consome de combustível por litros/horas. Se ele for igual ou menor ao recomendado, o consumo está correto. 

 

Curiosidade: Caso o barco que você esteja olhando seja mais antigo e possua um motor de 2 tempos carburado, saiba que ele irá consumir quase que o dobro do que um motor 4 tempos (mais moderno e da mesma potência), além de óleo também.  

 

6. Teste de mar

O teste de mar serve para avaliar a qualidade do casco em um mar mais agitado, com mais ondas. O objetivo é direcionar o barco contra, a favor e lateralmente com as ondas, para sentir como ele se comporta nas diferentes possibilidades de uma navegação. 

 

7. Distribuição de peso a bordo com barco parado

O último tópico para testar o barco antes de comprá-lo é saber como ele age quando está parado com pessoas a bordo. Esse é o mesmo teste feito quando a embarcação está no mar, tem o mesmo objetivo. Logo, faça a distribuição das pessoas de um lado e do outro da lancha para saber se o barco não apresenta grandes variações. 

 

Agora que você já sabe o que levar em conta na hora de testar o barco antes de comprá-lo, que tal conhecer os modelos da FS Yachts? Siga nosso Facebook e Instagram e confira as novidades!

Acessórios para lanchas: o que não pode faltar em nenhuma embarcação?

Compartilhe:

Navegar pelas águas do nosso país é, com certeza, uma sensação única. É a mistura de belas paisagens com a adrenalina de pilotar uma embarcação. São momentos de diversão, lazer e descanso com sua família e amigos. E, para garantir que o passeio seja feito com tranquilidade, é preciso se assegurar de que os tão úteis acessórios para lanchas estejam na embarcação. 

Para quem não sabe, existem acessórios que são obrigatórios para que o barco possa navegar com segurança. Com eles, você está prevenindo que qualquer acidente com você ou quem estiver na embarcação aconteça. Quer saber quais são estes acessórios para lanchas? Então acompanhe esse post que a FS Yachts preparou para você! 

 

5 principais acessórios para lanchas 

 

1) Extintor de incêndio 

O extintor de incêndio é item indispensável em qualquer embarcação. Sabe por quê? Entre todos os acidentes mais graves com barcos, o incêndio é um dos principais. Mas, não perca a calma! Eles não ocorrem com frequência; mas é sempre bom prevenir.

Afinal, as embarcações são compostas de redes elétricas e líquidos inflamáveis, que se não forem corretamente realizadas manutenções periódicas, podem causar alguma pane ou incêndio. Portanto, o extintor de incêndio é um dos acessórios para lanchas que não podem faltar. Caso aconteça algum imprevisto, ele pode ser usado para apagar focos do incêndio rapidamente. 

 

2) Colete salva-vidas 

O próprio nome já diz: ele salva vidas! Por isso, o colete se tornou um dos acessórios para lanchas obrigatórios. O colete salva-vidas ajuda na segurança de todos que estão na embarcação na ocorrência de algum acidente.

Quando for comprar seus coletes salva-vidas, é preciso prestar atenção na qualidade do material e seu tempo de vida útil. Estas características são fundamentais na segurança. 

 

Dicas: o número de coletes salva-vidas de uma lancha deve ser igual ao total de pessoas a bordo. Além disso, deve-se contar com todos os tamanhos – podem haver crianças na embarcação, e elas precisam ainda mais usar este acessório de proteção. 

 

3) Kit de primeiros socorros

Queimaduras, hematomas e cortes são imprevistos que podem ocorrer com qualquer pessoa que esteja na embarcação, não é verdade? Por isso é preciso ter uns equipamentos básicos de primeiros socorros para fazer o atendimento em casos assim, como:

 

  • Remédio para enjoo;
  • Antialérgico para picadas de mosquitos; 
  • Pomada para queimaduras;
  • Ataduras e esparadrapo para curativos; 
  • Gelo para diminuir inchaços e dores; 
  • Aspirina para aliviar dores;

 

4) Boia circular 

Com certeza você já deve ter visto este item em alguma embarcação. Ele é mais um exemplo essencial de acessório para lanchas, já que ajuda no socorro das pessoas que caem ao mar. 

Vale ressaltar que: a boia circular deve conter o número de inscrição de homologação do produto, pois ele garante que a peça é de qualidade. Se a boia não apresentar o número, é possível que você receba uma multa em caso de fiscalização. 

 

5) Sinalizadores de emergência 

São usados para momentos de socorro, no caso de algum imprevisto com a embarcação. Os sinalizadores de emergência são indicados para salvamento de longa e curta distância. 

 

Agora, que você já conhece os principais acessórios para lanchas, é importante ficar atento se eles estão no seu barco antes de partir para o passeio. 

A FS Yachts está constantemente trazendo todo tipo de conteúdo relacionado ao mundo náutico. Se você quer seguir aprendendo cada vez mais, siga nosso Facebook e Instagram e nos acompanhe!

Cuidados para donos de barco: 3 erros que podem custar caro

Compartilhe:

Para aqueles que querem ter (ou já têm) a própria lancha, é importante ter em mente que a manutenção é uma das partes indispensáveis e que devem ser sempre tomadas como uma prioridade. E, nessa busca que os donos de barco passam para garantir o melhor às suas embarcações, existem certos erros que devem ser evitados.

No texto que a FS Yachts preparou para você hoje, nós trouxemos 3 destes principais erros que os donos de barco não devem cometer se não quiserem gastar um bom dinheiro sem necessidade. Continue a leitura abaixo e entenda!

 

Os 3 erros que podem custar caro para donos de barco

 

1. Dispensar o uso de um contrato

O primeiro erro que donos de barco não podem cometer de jeito nenhum é não dar a devida importância aos contratos. E isso vale para todas as situações em que um negócio estiver envolvido, até mesmo pequenos reparos. Até porque, caso algum problema não tenha sido devidamente consertado, é com o contrato que você poderá provar o que deveria ser feito e ganhar vantagem em uma eventual negociação.

Porém, pelo fato de o valor envolvido ser significativamente mais elevado, os contratos têm relevância ainda maior quando falamos na compra de uma embarcação. No caso de barcos novos, a preocupação não precisa ser tão grande assim, afinal, estaleiros confiáveis têm como procedimento padrão a emissão de um contrato incluindo tudo que acompanha a mais nova lancha.

O grande erro aqui é não cobrar um contrato em negociações de embarcações usadas. Por não serem novas, elas possuem certo risco de apresentarem problemas imediatamente após a troca de dono. Quando certos detalhes como um motor falho não são especificadas em um contrato, a responsabilidade (e o prejuízo) são todos de quem comprou.

 

2. Não realizar testes imediatos após uma manutenção ou conserto

No caso das manutenções e dos reparos, um teste imediato — e, de preferência, no mesmo local em que o serviço foi feito — é a melhor maneira que donos de barco têm de atestar se os problemas foram, de fato, corrigidos. Especialmente se você já tiver cometido o primeiro erro da lista e não tiver a garantia do trabalho por escrito.

Portanto, exija que você mesmo possa fazer um teste na frente do prestador do serviço e ter a certeza de que está tudo certo. Caso você tenha feito um contrato prévio, ótimo! Confira neste teste se tudo que foi contratado foi feito e não aceite formalmente sua embarcação de volta enquanto tudo não estiver conforme contratado.

 

3. Basear decisões em opiniões de familiares e amigos

Esta é uma questão polêmica. Ainda mais quando consideramos que nossos familiares e amigos são as companhias que mais gostamos nos nossos passeios de barco, não acha? No entanto, a verdade é que se o amigo ou familiar em questão não é especializado no assunto ou, pior ainda, não entende nem um pouco sobre o mesmo, a opinião dele não deve ser tomada como válida.

Sempre que você for fazer uma escolha relevante envolvendo sua lancha, desde a própria aquisição até a identificação de problemas e escolha de fornecedores, tome como palavra definitiva a sua decisão.

Se você acredita que não possui o conhecimento necessário, não corra riscos; converse com profissionais. Se eles forem funcionários de determinada empresa, ouça mais de uma opinião. Sempre busque o melhor para a sua embarcação, lembre-se de que ela não foi um investimento barato.

 

 

Evitando estes erros, você e outros donos de barco podem evitar prejuízos, tanto para os bolsos quanto para os barcos. Gostou do conteúdo de hoje? Para receber ainda mais textos como este, siga a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

O que não pode faltar em um kit de primeiros socorros para barco?

Compartilhe:

Para todos os amantes de embarcações, navegar é uma atividade que proporciona alguns dos melhores momentos em toda a vida. Porém, assim como qualquer outra atividade de natureza externa, ela pode deixar quem a pratica suscetível a acidentes, e é preciso estar preparado para isso. Como algumas vezes tomar todos os cuidados recomendados não é suficiente, ter um kit de primeiros socorros no barco é indispensável.

Somente com um kit de primeiros socorros completo você será capaz de prestar auxílio no caso de acidentes, prevenindo-os de serem ainda piores. Lembre-se que o acesso à água é consideravelmente mais complicado, o que pode fazer com que o socorro demore a chegar. Um atendimento prévio, portanto, faz toda a diferença.

Neste texto que a FS Yachts preparou para você hoje, nós iremos te ensinar a montar o kit de primeiros socorros perfeito para qualquer eventual situação. Além disso, também vamos descrever os tipos mais comuns de acidentes a bordo, para que você possa tratá-los com a ajuda do seu kit.

Quer garantir ainda mais segurança para seu passeio de barco? Então continue a leitura abaixo e confira!

 

Acidentes mais comuns a bordo

 

1. Cortes

Começamos com o mais frequente. Cortes são machucados que acontecem por diferentes motivos, desde acidentes com facas até materiais de pesca. Para aliviar as consequências de um corte mais profundo, o ideal é apertar o local com uma compressa para diminuir o sangramento — e deixá-lo protegido até que o atendimento médico chegue.

 

2. Hematomas

Em locais que balançam tanto quanto barcos, quedas são uma realidade e até acontecem com certa regularidade. Além do balanço, o espaço, que nem sempre é dos maiores, pode favorecer tropeços. O melhor que pode ser feito para aliviar um hematoma é a aplicação imediata de gelo na área e o uso posterior de uma pomada anti-inflamatória.

 

3. Queimaduras

Sim, elas também podem acontecer em uma embarcação! Os casos mais comuns são com a água quente da cozinha ou com o atrito de cabos. No primeiro caso, mantenha a área em contato com água fria para aliviar a dor. No segundo, lave imediatamente e passe pomada para queimaduras.

 

Montando o kit de primeiros socorros para barcos perfeito

Como você pôde ver nos exemplos acima, é preciso ter a posse de certos itens para poder tratar os mais diversos acidentes. A melhor maneira de reunir todos eles e tê-los sempre a postos em sua lancha é com a elaboração de um kit de primeiros socorros.

É claro que sempre existe a opção de comprar um kit pronto. No entanto, só você conhece a sua embarcação, as particularidades dela e sabe o que será mais útil para combater acidentes específicos. Para que você monte o seu próprio kit de primeiros socorros com um guia, siga a lista que a FS preparou abaixo:

  • Remédios contra enjoo;
  • Antialérgico;
  • Pomadas para queimaduras;
  • Gelo;
  • Aspirina e novalgina;
  • Imobilizadores infláveis;
  • Materiais para curativos (ataduras, esparadrapo e tesoura).

 

 

Conforme a necessidade, como alergias e outras condições mais particulares, você pode adicionar outros itens que julgar necessário. Porém, nunca deixe de contar com os citados acima. Assim você poderá ter passeios mais seguros e prevenidos. Gostou do texto? Para continuar recebendo conteúdo náutico de qualidade, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

Saiba como limpar o barco corretamente: um passo a passo

Compartilhe:

Você que possui sua embarcação sabe como é importante e até um prazer cuidar dela. Sua manutenção e outros cuidados são fatores extremamente importantes para assegurar conservação e vida longa. Outro fator relevante para isso, e sobre o qual falaremos hoje, é a limpeza. Limpar o barco, além de ajudar a preservar, garante a beleza e torna ainda melhor as experiências a bordo.

Contudo, é preciso saber limpar o barco. Não basta simplesmente pegar uma mangueira, jogar água por cima e pronto. As diferentes partes de uma embarcação exigem diferentes cuidados e processos. Pensando nisso, a FS Yachts trouxe para você um passo a passo de como limpar o barco corretamente.

Continue a leitura abaixo e veja como você pode limpar o seu barco do melhor jeito possível e cuidar ainda mais dele!

 

Guia de orientações para limpar o barco

 

  • Limpeza geral pós-uso

Todas as águas possuem seus próprios níveis de impurezas e sais, os quais têm o potencial de prejudicar sua lancha a longo prazo. Isso porque estas substâncias são corrosivas, o que reduz a vida útil de peças metálicas, por exemplo.

O recomendado para evitar a corrosão e, de quebra, manter o barco com aquela aparência de novo, é dar uma boa lavada nele após cada uso. Aplique um jato de água doce, depois um produto especial para o casco, como o Lava Lancha, e, por último, mais um jato para finalizar o processo.

 

  • Limpeza dos vidros

Para limpar o para-brisa do seu barco, nada melhor que um produto específico. O ideal aqui é a utilização de um detergente neutro náutico com cera de carnaúba. Um produto com tais características limpa e aplica uma proteção no vidro ao mesmo tempo.

Caso não seja possível usar um produto assim, procure por específicos para cada ação: um para limpar e outro para proteger. De qualquer forma, tenha certeza de que o vidro será limpo e ganhará uma proteção para conservar a limpeza e evitar a aderência de substâncias

 

  • Limpeza do costado

Todos que possuem uma lancha querem manter o costado sempre branquinho e lindo, não concorda? Para isso, o recomendado é a aplicação de um produto, o enxágue e a secagem. Novamente, o Lava Lancha, da Nautispecial, é um ótimo exemplo de produto que pode ser utilizado para esta limpeza.

Por outro lado, se o costado do seu barco já está perdendo o branco original e começando a ficar amarelado, existem outros produtos, estes específicos para ajudar na recuperação da cor.

 

  • Limpeza das articulações

Não se esqueça desse detalhe! As articulações e dobradiças das portas e comportas de um barco são itens menores, mas que demandam a mesma atenção que o restante. Até porque ninguém merece ter que ficar lidando com travamentos que podem até causar acidentes, certo?

Assim como os anteriores, procure produtos próprios para isso. O ideal para este caso é um silicone náutico. Com suas propriedades, ele previne travamentos e corrosões. Basta usar o produto a cada 3 meses e seus problemas com dobradiças estarão solucionados.

 

Bônus: depois de limpo, proteja seu barco com uma capa

Mesmo que você abrigue sua lancha em uma marina, é importante que ele permaneça com uma capa ou um toldo após cada lavagem que você fizer. Nem mesmo os espaços cobertos disponibilizados pelas marinas estão completamente livres da ação do tempo e da umidade.

 

 

Como você pôde ver, ainda que limpar o barco exija certos cuidados e passos e produtos específicos, o processo de limpeza pode ser feito por qualquer um que queira cuidar bem da sua embarcação. Gostou deste passo a passo? Para continuar acompanhando a FS Yachts, siga nosso Facebook e Instagram!

5 mitos náuticos que você deve esquecer completamente

Compartilhe:

Em um universo tão vasto e complexo quanto o da náutica, é comum que existam mitos e outras histórias que simplesmente não são verdadeiras. Por diversas razões, muitas dessas mentiras são tomadas como verdades absolutas, pondo em risco a integridade de pessoas. Portanto, é preciso combater os mitos náuticos.

Nesta lista que a FS Yachts trouxe para você hoje, nós iremos desmistificar algumas das principais histórias tomadas como verdade. Se você quer saber quais são os mitos náuticos que você deve esquecer agora mesmo, confira mais abaixo!

 

5 mitos náuticos que devem ser esquecidos

 

1. Navegar em águas abrigadas não é difícil

Por comparação, muitos tendem a pensar que a navegação em águas abrigadas é algo fácil e que não exige a mesma atenção que um oceano, por exemplo. A verdade é que, apesar das diferenças e dos oceanos realmente terem seus desafios singulares, navegar em águas abrigadas pode ser tão complicado quanto.

Dependendo do lugar e das condições do tempo, é preciso ter a atenção redobrada. Como a FS Yachts já te contou neste texto, acompanhar a previsão do tempo quando for planejar uma navegação é essencial para garantir o sucesso do passeio e a segurança dos envolvidos. Portanto, fique atento também na hora de navegar em águas abrigadas.

 

2. Bons nadadores não precisam de colete salva-vidas

Ainda que não sejam os equipamentos mais confortáveis do mundo, os coletes salva-vidas são indispensáveis. Sempre que qualquer pessoa estiver a bordo, ela deve estar vestindo um, independente do quão bem ela nada. Isso porque é impossível prever quando um acidente irá acontecer: qualquer um pode vir a cair da embarcação.

Para que você tenha uma noção da relevância dos coletes, basta olhar as estatísticas. De todas as mortes por afogamento, 90% das vítimas não estava usando um. Dependendo da queda e da temperatura da água, a confusão pode ser grande, impedindo que a vítima nade como ela faria normalmente. Nunca subestime a importância de um colete!

 

3. O combustível do barco pode ser o mesmo que o do carro

Assim como a previsão do tempo, a FS Yachts também já te explicou tudo sobre a diferença entre combustíveis e quais são os melhores para embarcações. No entanto, muitos tendem a pensar que não existe diferença e que está tudo bem em usar os mesmos combustíveis.

Tome como exemplo o etanol. Ele, por ser uma substância higroscópica, absorve a umidade da água. Como tanques de carros são fechados e seus combustíveis são substituídos com maior frequência, isso não é um problema para eles.

Porém, no caso de barcos a situação muda. Motores de popa, os mais comuns, são expostos, tendo contato direto com a água. A absorção dessa água por parte do etanol pode causar muitos problemas ao tanque e ao motor do barco.

 

4. Beber em alto mar não é um problema quando se tem um piloto

Aqui temos um dos mais graves mitos náuticos. Muitas pessoas acham que, só porque elas não estão à frente da embarcação, a ingestão de bebidas alcoólicas está liberada. Isso é um equívoco grave. Números mostram que quase metade dos acidentes em lanchas estão ligados ao consumo de álcool.

E nós nem precisamos ir tão longe quando falamos em acidentes: escorregões e quedas dentro do próprio barco podem causar estragos consideráveis. Isso sem contar as quedas para fora da embarcação, as quais são ainda mais perigosas. Para evitar problemas, beba somente quando a lancha estiver atracada.

 

5. Pilotar um barco é a mesma coisa que um carro

Este é um mito muito conhecido e reproduzido por quem quer começar a navegar e ainda não está familiarizado com o assunto. A primeira grande diferença aqui é a água, quando comparada ao asfalto. Ela está sempre se movendo, ou seja, a influência do vento faz com que não seja preciso simplesmente pisar no freio (como em um carro) para parar.

Além disso, as sinalizações e regras de navegação são consideravelmente mais complexas, o que faz com que uma simples confusão seja capaz de causar um enorme acidente. Nesse caso, qualificação e habilitação adequadas são imprescindíveis.

 

 

Conhecer mitos náuticos e saber por que eles não são verdadeiros é essencial para garantir a segurança de uma navegação. Gostou do texto de hoje? Para continuar lendo conteúdos como este, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

4 ideias de presentes náuticos para este Dia das Mães

Compartilhe:

Neste final de semana teremos o dia no qual homenageamos elas que são tão importantes em nossas vidas – o Dia das Mães. É a melhor data para mostrarmos a diferença que elas fazem em nosso dia a dia e, é claro, presenteá-las com algo único e especial. E, para as mães que gostam tanto de estar a bordo quanto nós, por que não investir em presentes náuticos?

Se você ainda não escolheu o presente perfeito para a sua mãe, talvez alguma destas dicas que daremos abaixo pode te ajudar a ter a ideia que você estava precisando. Afinal, se elas sempre compartilharam tudo conosco, nós também podemos – e devemos – compartilhar nossos maiores momentos de lazer com elas.

A boa notícia aqui é que a gama de opções para presentes náuticos é altamente variada, indo desde acessórios diversos até aulas de modalidades aquáticas. Qualquer que seja a sua escolha, existem alternativas para agradar todos os tipos de mães.

No pequeno guia que a FS Yachts trouxe para você (e sua mãe) hoje, nós te daremos ideias de presentes náuticos perfeitos para este Dia das Mães. Caso você ainda esteja escolhendo o seu, suas dúvidas acabam agora! Continue a leitura abaixo e veja algumas das nossas sugestões!

 

4 ideias de presentes náuticos

 

1. Aulas de barco/Aulas de Arrais Amador

Você provavelmente já levou sua mãe para um passeio de barco com você ou até mesmo com toda a família, certo? Esses momentos costumam ser os melhores para qualquer dono de embarcação. E, se sua mãe gostou e gosta de estar no mar, por que não ajudá-la a ter a capacidade de navegar por conta própria também?

Aulas práticas de Arrais Amador, categoria mais básica de habilitação náutica e que permite a navegação em águas abrigadas, são uma boa ideia de presente que com certeza deixará qualquer mãe surpresa.

 

2. Almoço/Jantar especial a bordo

Mais uma opção de presente não material, levar a sua mãe para um almoço ou um jantar surpresa no seu barco é uma ideia diferente que pode render memórias para a vida toda. A ideia aqui é caprichar: servir o melhor banquete com as melhores bebidas e oferecer tudo que ela merece.

Para estender o passeio, uma ideia é fazer uma programação de um dia inteiro passeando com o barco, o que pode incluir, além das refeições, outras atividades.

 

3. Aulas de esportes aquáticos

Para as mães mais radicais, mais uma ideia de aulas, mas dessa vez de esportes. Algumas das modalidades mais praticadas são esqui aquático, wakeboard e wakesurf. Qualquer que seja a escolha, a adrenalina estará garantida.

 

4. Uma lancha

Tudo bem, cada um dos planos que sugerimos podem ser feitos com o uso do seu próprio barco, mas você não acha que sua mãe também adoraria ter o dela? Caso ela ainda não tenha muita experiência, apesar da vontade, existem diversas opções de embarcações de entrada, como a FS 180.

Se você acha que qualquer um dos outros presentes náuticos seriam grandes surpresas, este seria, sem dúvidas, a maior de todas.

 

O Dia das Mães está logo ali. E você, já comprou seu presente? Gostou das nossas ideias de presentes náuticos? Para ver mais conteúdos como este e envolvendo tudo sobre o mundo náutico, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

Churrasqueira para barco: dicas para assar a bordo

Compartilhe:

Há poucas coisas na vida que trazem tanta felicidade quanto reunir os amigos ou a família para aquele churrasco. Agora, imagine só como seria se você conseguisse juntar momentos assim com o seu maior lazer: os passeios com a sua embarcação. E se nós dissermos que, com uma boa churrasqueira para barco, isso é possível?

Além de proporcionar esses momentos de qualidade por si só, uma churrasqueira para barco também pode ser a sua salvadora após um longo dia de navegação. Afinal de contas, depois de passar todo o dia em alto mar, você e suas companhias certamente estarão com fome – e nem sempre aqueles sanduíches frios são a melhor opção, não é mesmo?

No texto que a FS Yachts trouxe para você hoje, nós iremos te dar algumas dicas de como utilizar uma churrasqueira perfeitamente e aproveitar tudo que um churrasco a bordo pode oferecer. Para isso, falaremos um pouco mais sobre os principais tipos de churrasqueira para barco e alguns cuidados que devem ser tomados. Confira!

 

Os 3 tipos de churrasqueira para barco

Para que você saiba qual é a opção mais adequada ao seu caso, é preciso saber quais são elas e as características que cada uma apresenta. Conheça abaixo os principais tipos de churrasqueira para barco:

 

1. Churrasqueira a carvão

É indiscutível: não existe churrasco melhor e mais saboroso que o feito com carvão. Porém, ele é também o que demora mais tempo para ficar pronto. Com uma gama de opções de diferentes tamanhos, a churrasqueira a carvão é adaptável a praticamente qualquer barco.

Talvez a principal vantagem deste tipo seja o fato de ele não precisar de gás ou eletricidade, como é o caso dos seguintes. Eles são também os mais baratos. Uma desvantagem, por outro lado, é que os cuidados com eles precisam ser ainda maiores. É preciso cuidar para que as cinzas não façam estragos e, no pior cenário, peguem fogo.

 

2. Churrasqueira a gás

Assim como o anterior, a churrasqueira a gás é conhecida por existir nos tamanhos mais diversos. Você pode encontrá-la tanto em dimensões compactas, perfeita para uma família, quanto em maiores, prontas para servir uma festa inteira. É uma alternativa escolhida por muitos pois o gás é um combustível barato e fácil de ser encontrado.

Contudo, como você já deve ter imaginado, a churrasqueira a gás é o tipo que exige mais cuidados. Por ser mais pesado que o ar, vazamentos do gás oferecem grande perigo de explosões. É importante ficar sempre atento.

 

3. Churrasqueira elétrica

Por último, temos a churrasqueira elétrica. A principal diferença dela é que o funcionamento só é possível com o uso de um gerador de energia. Outra característica que a diferencia é o fato de que costuma ser instalada diretamente na embarcação, enquanto as outras são móveis.

Em comparação com as outras duas, é a mais cara. Além disso, é preciso muita eletricidade para que ela funcione perfeitamente. No entanto, para quem põe a segurança em primeiro lugar, não existe opção melhor. Outro detalhe é que, enquanto as anteriores precisam ser usadas em áreas externas, a elétrica não possui a mesma necessidade.

 

Alguns cuidados

Ainda que cada tipo de churrasqueira para barco tenha suas especificações, determinados cuidados devem ser tomados em todos os casos. Veja:

  • siga as instruções do fabricante;
  • tenha certeza de que a montagem está completamente correta e segura;
  • sempre tenha alguém cuidando da churrasqueira;
  • use acessórios adequados;
  • não asse quando o barco estiver no meio de uma navegação.

 

Conhecendo cada um dos tipos, sabendo como manuseá-los e tendo os devidos cuidados, fazer um bom churrasco em alto mar será uma tarefa segura para você e divertida para todos que estiverem junto. Gostou do texto de hoje? Acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram para saber ainda mais!

Guia de Seguro Náutico: entrevista com RKR Seguros

Compartilhe:

Imagine o seguinte cenário: você conferiu a previsão do tempo e escolheu o melhor dia para a navegação, deixou separados todos os itens que precisam ser levados em um passeio de barco, calculou o quanto de combustível será necessário para o passeio e se preparou para prevenir e combater o enjoo em alto mar. Você está 100% pronto. Contudo, por mais preparado que se esteja, acidentes acontecem, e nós nunca sabemos quando. Numa hora dessas, independente das medidas que tenham sido tomadas, somente um seguro náutico poderá ajudar.

Assim como o equivalente para os automóveis, o seguro náutico é um plano de assistência a embarcações e seus passageiros, garantindo ressarcimento dos prejuízos no caso de acidentes e até roubos. Mesmo com o conhecimento e prática de todas as sinalizações e manobras para contornar situações de perigo, contratar um seguro náutico continua sendo a melhor precaução para navegar com tranquilidade.

Ainda que o plano básico de seguro náutico costume cobrir eventos como roubo, perda total, naufrágio e colisão, existem certos aspectos que exigem coberturas mais amplas ou mais específicas, além, é claro, de comunicação clara com a seguradora.

Foi pensando nisso que a FS Yachts trouxe este guia para você hoje. Após uma longa e esclarecedora conversa com Rudney, sócio da RKR Seguros, especializada em seguros náuticos, reunimos os 4 principais pontos para dar maior atenção na hora de fazer um seguro náutico. Se você já entendeu a importância deles e quer tirar suas dúvidas, leia mais abaixo!

 

Seguro Náutico: os 4 pontos destacados pela RKR Seguros

 

1. Quais coberturas ter?

Segundo Rudney, as coberturas para o casco, motor e rabeta do motor são indispensáveis. Ele ainda explica que, no caso de colisão com uma pedra, é possível que somente a rabeta seja danificada, sem afetar o motor e o casco, algo que justifica a importância da sua cobertura.

Além disso, é essencial ter um seguro com cobertura para remoção de destroços. Isso porque em acidentes graves, quando a embarcação afunda, a Marinha exige que a remoção dos destroços por parte do proprietário. Quando não assegurado, tal operação pode custar de 20 a 40 mil reais.

Por fim, quando tratamos de veleiros, não esqueça de incluir a cobertura para o mastro e para as velas.

 

2. Transporte Terrestre

Ainda falando de coberturas, temos aqui um dos outros exemplos mais significativos. Se o seu barco não ficará abrigado em marina, você precisará de uma carreta rodoviária para transportá-lo quando quiser navegar. Neste caso, não deixe de incluir no seu seguro a cobertura para transporte terrestre. Assim, você estará protegido de qualquer acidente que possa ocorrer ao transportar a embarcação em rodovias.

No entanto, o tamanho máximo que uma embarcação pode ter para usufruir essa cobertura é 23 pés. Como já citamos em nosso texto sobre os tipos de carretas, embarcações maiores não podem transitar em carretas rodoviárias.

 

3. Legislação

É importante destacar que o seguro só fará o pagamento se todos os aspectos estiverem dentro da lei. Um exemplo que Rudney ressalta é a habilitação do marinheiro responsável. Ele precisa, obrigatoriamente, comprovar que é habilitado para navegar na região onde o acidente aconteceu.

Se a sua carteira (ou do marinheiro que o acompanha) é de arrais amador e o acidente foi na Ilha do Arvoredo, Florianópolis, o seguro não tem a obrigação de cobrir. A Ilha não está dentro do limite enquadrado para a categoria.

 

4. Tipos de navegação

Por último, trouxemos um detalhe que costuma ser esquecido por muitas pessoas. Trata-se do tipo de navegação que estava sendo feita no momento do acidente. Dependendo da finalidade da utilização do barco, será necessário um seguro diferente.

Por exemplo: se você usa a embarcação para transporte de passageiros, charter ou aluguel, precisará de um seguro específico para uso comercial. Se irá participar de uma regata ou outra atividade competitiva, a seguradora deve ser informada. Caso contrário, é possível que você não esteja coberto no dia do evento.

 

Contar com um seguro náutico é uma das medidas que pode o salvar de um grande prejuízo. Com os pontos destacados hoje, você já sabe o que deve ser considerado quando for escolher o seu. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a FS Yachts e nós iremos respondê-lo!