5 mitos náuticos que você deve esquecer completamente

Compartilhe:

Em um universo tão vasto e complexo quanto o da náutica, é comum que existam mitos e outras histórias que simplesmente não são verdadeiras. Por diversas razões, muitas dessas mentiras são tomadas como verdades absolutas, pondo em risco a integridade de pessoas. Portanto, é preciso combater os mitos náuticos.

Nesta lista que a FS Yachts trouxe para você hoje, nós iremos desmistificar algumas das principais histórias tomadas como verdade. Se você quer saber quais são os mitos náuticos que você deve esquecer agora mesmo, confira mais abaixo!

 

5 mitos náuticos que devem ser esquecidos

 

1. Navegar em águas abrigadas não é difícil

Por comparação, muitos tendem a pensar que a navegação em águas abrigadas é algo fácil e que não exige a mesma atenção que um oceano, por exemplo. A verdade é que, apesar das diferenças e dos oceanos realmente terem seus desafios singulares, navegar em águas abrigadas pode ser tão complicado quanto.

Dependendo do lugar e das condições do tempo, é preciso ter a atenção redobrada. Como a FS Yachts já te contou neste texto, acompanhar a previsão do tempo quando for planejar uma navegação é essencial para garantir o sucesso do passeio e a segurança dos envolvidos. Portanto, fique atento também na hora de navegar em águas abrigadas.

 

2. Bons nadadores não precisam de colete salva-vidas

Ainda que não sejam os equipamentos mais confortáveis do mundo, os coletes salva-vidas são indispensáveis. Sempre que qualquer pessoa estiver a bordo, ela deve estar vestindo um, independente do quão bem ela nada. Isso porque é impossível prever quando um acidente irá acontecer: qualquer um pode vir a cair da embarcação.

Para que você tenha uma noção da relevância dos coletes, basta olhar as estatísticas. De todas as mortes por afogamento, 90% das vítimas não estava usando um. Dependendo da queda e da temperatura da água, a confusão pode ser grande, impedindo que a vítima nade como ela faria normalmente. Nunca subestime a importância de um colete!

 

3. O combustível do barco pode ser o mesmo que o do carro

Assim como a previsão do tempo, a FS Yachts também já te explicou tudo sobre a diferença entre combustíveis e quais são os melhores para embarcações. No entanto, muitos tendem a pensar que não existe diferença e que está tudo bem em usar os mesmos combustíveis.

Tome como exemplo o etanol. Ele, por ser uma substância higroscópica, absorve a umidade da água. Como tanques de carros são fechados e seus combustíveis são substituídos com maior frequência, isso não é um problema para eles.

Porém, no caso de barcos a situação muda. Motores de popa, os mais comuns, são expostos, tendo contato direto com a água. A absorção dessa água por parte do etanol pode causar muitos problemas ao tanque e ao motor do barco.

 

4. Beber em alto mar não é um problema quando se tem um piloto

Aqui temos um dos mais graves mitos náuticos. Muitas pessoas acham que, só porque elas não estão à frente da embarcação, a ingestão de bebidas alcoólicas está liberada. Isso é um equívoco grave. Números mostram que quase metade dos acidentes em lanchas estão ligados ao consumo de álcool.

E nós nem precisamos ir tão longe quando falamos em acidentes: escorregões e quedas dentro do próprio barco podem causar estragos consideráveis. Isso sem contar as quedas para fora da embarcação, as quais são ainda mais perigosas. Para evitar problemas, beba somente quando a lancha estiver atracada.

 

5. Pilotar um barco é a mesma coisa que um carro

Este é um mito muito conhecido e reproduzido por quem quer começar a navegar e ainda não está familiarizado com o assunto. A primeira grande diferença aqui é a água, quando comparada ao asfalto. Ela está sempre se movendo, ou seja, a influência do vento faz com que não seja preciso simplesmente pisar no freio (como em um carro) para parar.

Além disso, as sinalizações e regras de navegação são consideravelmente mais complexas, o que faz com que uma simples confusão seja capaz de causar um enorme acidente. Nesse caso, qualificação e habilitação adequadas são imprescindíveis.

 

 

Conhecer mitos náuticos e saber por que eles não são verdadeiros é essencial para garantir a segurança de uma navegação. Gostou do texto de hoje? Para continuar lendo conteúdos como este, acompanhe a FS Yachts no Facebook e no Instagram!

Gasolina ou diesel: qual é o melhor combustível para barco?

Compartilhe:

Se você está procurando por sua primeira embarcação e realizou uma certa quantidade de pesquisas, você já sabe como alguns detalhes – que a princípio não parecem tão relevantes assim – podem fazer toda a diferença. Questões de manutenção, revisão e tamanho, por exemplo, são apenas alguns deles. Outra particularidade significativa, e sobre a qual falaremos hoje, é o tipo de combustível para barco utilizado.

Quando o assunto é motor e combustível para barco, uma visão comum é a de que barcos menores são movidos a gasolina, enquanto os de maior porte, a diesel. Porém, fugindo à regra, algumas embarcações aceitam os dois tipos de motores. E, se este for o seu caso, é de extrema importância conhecer as diferenças entre os dois tipos de combustíveis.

No material que a FS Yachts preparou para você hoje, você verá um comparativo trazendo as principais vantagens de cada combustível para barco. Seja uma lancha movida a diesel ou gasolina, ela terá suas próprias características e benefícios. Com a nossa ajuda, você saberá qual se adapta melhor ao seu uso. Confira abaixo!

 

O melhor combustível para barco – Um comparativo

Para comparar os dois combustíveis da maneira mais clara possível, nada melhor que apresentar os principais pontos positivos e negativos de cada um. Entenda melhor:

 

  • Vantagens da gasolina

Quando falamos em motores a gasolina, o primeiro ponto que vem à mente é o custo. Em média, custam de 40 a 60% a menos que um motor a diesel. Além de mais baratos, eles são também menores. Isso, somado à ausência de mangueira de retorno de combustível, faz com que a montagem seja mais fácil, assim como a manutenção.

Como citamos acima, são mais recomendados para barcos menores. Por serem mais leves, estes motores auxiliam no desempenho e fazem com que as arrancadas tenham velocidade consideravelmente mais alta.

 

  • Desvantagens da gasolina

Em contrapartida, ao mesmo tempo em que motores movidos a gasolina são mais baratos, a gasolina em si é mais cara. Normalmente, pode chegar a 20% a mais em relação ao valor do diesel. A diferença pode ser ainda maior, de acordo com o estado e com o posto onde ela for comprada.

Via de regra, os motores a gasolina são menos resistentes às ações do tempo que um motor a Diesel, tanto pela mecânica quanto pela qualidade do combustível brasileiro. Além disso, não só a gasolina é mais cara, como o consumo do motor é maior, diminuindo a autonomia em cerca de 30% em relação ao diesel.

 

combustível para barco gasolina

 

  • Vantagens do diesel

Da mesma maneira que o investimento inicial é a primeira vantagem que se pensa quando falamos de motores a gasolina, aqui a principal é o preço do combustível propriamente dito. Via de regra, o litro do diesel é mais barato que o da gasolina. Não obstante, o consumo de combustível é até 30% menor nestes motores.

Como seus circuitos de refrigeração são fechados, a água salgada não passa por dentro dos motores a diesel, fazendo com que eles sejam mais resistentes. Por fim, o diesel pode durar até quatro meses parado dentro do tanque, o que corresponde ao dobro do tempo da gasolina.

 

  • Desvantagens do diesel

A esta altura, a grande desvantagem dos motores a diesel já está clara: o custo inicial é maior. Ainda que essa diferença de preço possa se pagar  com o uso (a partir de 600h de uso), a manutenção, outro ponto essencial, também é mais cara (aproximadamente o dobro do preço da revisão de um motor à gasolina).

 

combustível para barco diesel

 

Resumo

 

  • Peso: Um motor 4.5 gasolina 250hp Bravo Three pesa 455kg, enquanto um motor 2.8 diesel 220hp Bravo Three pesa 488kg. Os pesos são muito similares.

 

  • Desempenho: Motores a diesel possuem um torque maior que os motores a gasolina, portanto mesmo com uma potência inferior conseguem ter um desempenho próximo nos quesitos aceleração e velocidade final.

 

  • Manutenção: Os prazos de manutenção dos motores a gasolina e diesel são iguais – a primeira revisão com 50h (ou 6 meses), a 2ª revisão com 100 horas (ou 1 ano), e depois de 100h em 100h (ou 1 em 1 ano). A revisão mecânica de um motor a diesel custa o dobro da revisão de um motor a gasolina.

 

  • Preço: O motor a diesel é mais caro que a gasolina, mas consome menos, e o óleo diesel é mais barato que a gasolina. Se a diferença do preço do combustível estiver em R$1,00 / Litro, será necessário navegar cerca de 600 horas para que o motor a Diesel se pague. Se a diferença do preço do combustível estiver em R$0,50 / litro, será necessário navegar cerca de 1.200 horas para que o motor a Diesel se pague.

 

Por fim, fica claro que o melhor combustível para barco varia em cada caso, dependendo do uso específico de cada um. Lanchas de menor porte e utilizadas com certa frequência se beneficiam mais de um motor a gasolina, enquanto embarcações maiores e com desejo de economia a longo prazo podem encontrar no motor a diesel uma opção mais interessante.

E aí, já sabe qual é o combustível para barco ideal para você? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a FS Yachts e nós iremos respondê-lo!

Quanto combustível uma lancha consome em média?

Compartilhe:

Você está pensando em comprar uma lancha. Já leu diversos artigos a respeito, pesquisou sobre os tamanhos e preços e está perto de decidir qual modelo é o mais recomendado para o seu caso. Porém, continua curioso sobre aqueles mitos náuticos como o de consumo de combustível? Leia mais abaixo.

 

O consumo de combustível de uma lancha

O consumo de combustível é uma constante, e por isso é preciso ter uma boa noção do quanto cada tipo de embarcação precisa em um passeio. Afinal, é de extrema importância ter um pouco de combustível a mais no tanque para garantir uma viagem segura, o que reforça a necessidade de conhecer pelo menos alguns destes números.

Vale frisar que, graças à existência de diferentes tipos e quantidades de motores e à variação de tamanhos de embarcações, o consumo varia. O mesmo motor em uma lancha de 23 pés e em uma de 26 pés não terá o mesmo rendimento, já que os tamanhos exigem forças diferentes.

Pensando nisso, hoje trouxemos dados de consumo referentes a lanchas de 18, 20, 21, 23, 26, 29, 32 e 36 pés. Para facilitar a comparação, consideramos motores a gasolina e diesel (nos motores centro-rabeta), em velocidade de cruzeiro (22 milhas por hora).

Todas as informações foram obtidas pelo site http://www.boat-fuel-economy.com/ e em testes realizados em embarcações FS Yachts. Confira:

 

 

  • 18 pés (motor de popa, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor de popa de 90 ou 100 hp. O consumo médio destes motores é similar, consumindo cerca de 12.4 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 1.8 milhas/litro. Portanto, um passeio normal durante o dia, com 2 horas de motor ligado, consumirá cerca de 25 litros de gasolina.

 

lancha 18 pés

 

 

  • 20/21 pés (motor de popa, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor de popa de 115hp. O consumo médio deste motor é de 14.1 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 1.6 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 28 litros.

 

lancha 20 21 pés

 

 

  • 23 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização habitual de lanchas deste tamanho é composta por um motor de centro-rabeta de 200hp, sendo o Mercury Mercruiser 4.5L 200hp V6 o mais comum, com a rabeta Alpha One (um hélice de Inox). Seu consumo médio é de 25 litros por hora, a 3.000rpm, com rendimento de aproximadamente 0,9 milhas por litro. Portanto, um passeio comum consome 50 litros de gasolina

 

 

  • 23 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 23 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.0 170hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 13 litros/hora, a 2.500 rpm. O rendimento é de aproximadamente 1.7 milhas por litro. Portanto, um passeio comum consome 26 litros de óleo diesel.

 

lancha 23 pés

 

 

  • 26 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor centro-rabeta a gasolina de 250hp, sendo o Mercruiser 4.5L V6 250hp com rabeta Alpha One o mais comum. O consumo médio deste motor é de 30.6 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 0.7 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 60 litros de gasolina.

 

 

  • 26 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 26 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 22 litros/hora, a 3.000 rpm. O rendimento é de aproximadamente 1 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 44 litros de óleo diesel.

 

lancha 26 pés

 

 

  • 29 pés (motor centro-rabeta, gasolina)

 

A motorização mais comum destas lanchas é composta por um motor centro-rabeta a gasolina de 250hp, sendo o Mercruiser 4.5L V6 250hp com rabeta Bravo Three o mais comum, e o Mercruiser 6.2L 300hp V8 com Rabeta Bravo Three a opção mais potente, para alto desempenho.

O consumo médio do 250hp V6 é de 30.6 litros/h a 3.500rpm, com rendimento de 0.7 milhas/litro. O motor 300hp V8, no entanto, consome 37.5 litros/hora a 3.500rpm, mas entrega mais velocidade. Portanto, um passeio normal consome entre 60 a 75 litros de gasolina.

 

 

  • 29 pés (motor centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 29 pés com o motor centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria o Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. Seu consumo médio é de 30 litros/hora, a 3.200 rpm. O rendimento é de aproximadamente 0,7 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 60 litros de óleo diesel.

 

lancha 29 pés

 

 

  • 32 pés (dois motores centro-rabeta, gasolina)

 

As lanchas acima de 30 pés geralmente são equipadas com dois motores centro-rabeta. No caso da FS 320, por exemplo, o conjunto mais comum a gasolina é a parelha Mercruiser 4.5L 250hp V6 com rabetas Bravo Three. O consumo médio de cada motor 250hp V6 é de 30.6 litros/h a 3.500rpm. O consumo total da lancha, portanto, vai ficar em 60 litros/hora. O rendimento fica em 0,37 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 120 litros de gasolina.

 

 

  • 32 pés (dois motores centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 32 pés com motores centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria a parelha Mercruiser QSD 2.8 220hp com rabeta Bravo Three. O consumo médio de cada motor é de 22 litros/hora, a 3.000 rpm, e portanto o consumo total fica em 44 litros/hora. O rendimento é de aproximadamente 0,5 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 88 litros de óleo diesel.

 

lancha 32 pés

 

 

  • 36 pés (dois motores centro-rabeta, gasolina)

 

As lanchas acima de 30 pés geralmente são equipadas com dois motores centro-rabeta. No caso da FS 360, por exemplo, o conjunto mais comum a gasolina é a parelha Mercruiser 6.2L 300hp V8 com rabetas Bravo Three. O consumo médio de cada motor 300hp V8 é de 37.5 litros/h a 3.500rpm. O consumo total da lancha, portanto, vai ficar em 75 litros/hora. O rendimento fica em 0,3 milhas/litro. Portanto, um passeio normal consome 150 litros de gasolina.

 

 

  • 36 pés (dois motores centro-rabeta, diesel)

 

Caso prefira equipar sua lancha de 36 pés com motores centro-rabeta a diesel, o mais indicado seria a parelha Mercruiser TDI V6 260HP DTS com rabeta Bravo Three. O consumo médio de cada motor é de 30 litros/hora, a 3.000 rpm, e portanto o consumo total fica em 60 litros/hora. O rendimento é de aproximadamente 0,37 milha por litro. Portanto, um passeio comum consome 120 litros de óleo diesel.

 

Gostou do nosso conteúdo de hoje? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a FS Yachts, nós estamos sempre prontos para atendê-lo!