Entenda a importância das Defensas para sua lancha

Compartilhe:

Grande parte dos donos de embarcações seguem todos os cuidados para deixar seu barco sempre novinho em folha. E esses cuidados são fundamentais para manter o bom funcionamento da embarcação, para navegar com mais segurança e também evitar as manutenções desnecessárias. 

No texto de hoje vamos falar sobre um item que é muito importante e que auxilia diretamente na função de proteger a embarcação. Vamos conhecer um pouco mais sobre as defensas e entender qual o seu papel em um barco.

Vamos conferir mais informações sobre o assunto, a seguir!

O que são defensas marítimas e qual sua importância para a embarcação?

O mundo náutico é cheio de particularidades! E quanto mais você conhece, mais você tem interesse em aprender todos os detalhes. Cada peça, cada acessório, cada item de uma embarcação tem a sua função, e é importante que os pilotos entendam cada uma delas e as suas finalidades. 

Por isso, hoje vamos aprofundar nosso conhecimento sobre as defensas de um barco

Defensas são peças colocadas ao longo do casco da embarcação para protegê-la em casos de encostar em outros barcos ou no próprio cais. Quando as lanchas estão na água, elas acabam acompanhando a ondulação e, por menor que ela seja, corre o risco de encostar umas nas outras – o que causa arranhões, amassados e descascamentos. 

A principal função das defensas é justamente amortecer o impacto que possa acontecer entre a embarcação e uma outra estrutura. Existem diversos tipos da peça e a escolha deve ser feita de acordo com a necessidade de cada barco. 

As defensas da embarcação precisam ser trocadas em diferentes casos, como, por exemplo: quando apresentam rachaduras ou estão quebradas. Além disso, é importante manter elas sempre limpas, pois a sujeira pode arranhar o barco. Por esse motivo, elas devem fazer parte da vistoria regular da embarcação para garantir o seu bom funcionamento e para que cumpram o seu papel de proteger o casco da lancha. 

Vale destacar também que quando for sair para navegar, é fundamental recolher as defensas para que não se percam ou que fiquem “roçando” no barco com a navegação. 

Quais os tipos de defensas?

Cilíndricas

defensas

É um dos modelos mais utilizados, pois atende todos os tipos de embarcações e têm um custo de manutenção baixo. 

Boia 

defensas

É uma defensa normalmente utilizada em barcos de mais de 30 pés, pois pelo formato redondo em vez de cilíndrico, ajuda a criar um espaço de proteção maior entre dois barcos amadrinhados. Também é muito utilizada como uma boia de marcação de poitas e afins.

Em arco

defensas

É geralmente usada como complemento do modelo de defensas cilíndricas, é indicada para embarcações de pequeno e médio porte e sua manutenção é praticamente nula. 

Tipo roda

defensas

São recomendadas para dirigir a lancha em locais com pouco espaço, pode ser utilizada uma ou várias rodas para proteger o casco do barco.

Tipo célula

defensas

Esse modelo é um dos mais confiáveis e um dos mais utilizados no setor marítimo e comercial de grande porte, é o que mais pode garantir menor reação de energia absorvida de navios.  

Como escolher quais defensas marítimas utilizar na lancha?

Diante de tantas opções no mercado, é importante que você saiba como escolher as defensas marítimas para usar na sua lancha. Alguns critérios precisam ser levados em consideração na hora da decisão, como: o tamanho, a quantidade e os tipos de defensas que serão utilizadas. 

Mas antes de responder essas questões, é fundamental ter uma noção de quais são as dimensões da embarcação, o tipo do porto, sua localização e se existe um rebocador para guiar o barco enquanto atraca.

A referência geralmente utilizada é a de no mínimo duas defensas com o tamanho adequado para um barco acima de 30 pés. Uma deve ser colocada na parte mais larga da lancha, a segunda no meio (entre a primeira defensa e a popa do barco), e a terceira entre a primeira e a proa. Quanto maior for a embarcação, mais peças serão necessárias. 

Ficou mais fácil cuidar da sua embarcação agora que você já sabe qual a importância das defensas marítimas para seu barco, não é mesmo? Se você gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de todas as novidades e particularidades do mundo náutico, siga as redes sociais da FS Yachts: Facebook e Instagram.

Conheça as expressões náuticas que devem ser evitadas

Compartilhe:

Se você já conversou com algum marinheiro e ele utilizou algumas expressões náuticas que você não entendeu – não se preocupe, é muito comum isso acontecer. Os marinheiros costumam usar uma linguagem náutica que acabam aderindo com o passar do tempo. Por isso, no texto de hoje, vamos falar um pouco sobre essas expressões náuticas e quais delas devem ser evitadas.

Vamos conferir mais informações sobre o assunto, a seguir!

Principais expressões náuticas que devem ser evitadas 

Quando estamos envolvidos em alguma área ou atividade, é normal que com o passar do tempo adotemos uma linguagem mais técnica sobre o assunto – e com o mundo náutico e os marinheiros não é diferente. 

Por isso, muitas pessoas leigas e novos marinheiros podem ficar em dúvida sobre determinados termos utilizados como expressões náuticas. Portanto, se você quer ficar por dentro dessa linguagem mais técnica, tem alguns termos que você precisa conhecer e outros que você deve evitar, como, por exemplo: 

Separamos aqui alguns termos que você deve evitar e qual é a forma correta de citá-los conforme a linguagem do mundo náutico.

expressões náuticas

 

Linguagem e expressões náuticas 

Para aqueles que têm interesse em conhecer mais sobre a linguagem do mundo náutico e o que significa cada uma das expressões náuticas utilizadas pelos marinheiros, é possível encontrar na internet alguns dicionários específicos que funcionam também como um guia para iniciantes. 

Separamos uma lista com determinadas expressões náuticas mais utilizadas e qual o significado delas. Confira! 

Partes de um barco

Casco: é todo o corpo da embarcação, a parte principal;

Convés: é a parte de cima do casco, pavimento da primeira coberta;

Bordos: as laterais do barco;

Bombordo: Lado esquerdo, com a proa do barco à nossa frente e a popa atrás;

Boreste: Lado direito, com a proa à nossa frente e a popa atrás; 

Obras-vivas: É a parte do casco que fica embaixo d’água;

Obras-mortas: Parte do casco que fica acima d’água;

Bico de proa: A extremidade do casco na proa;

Casa das máquinas: É onde fica o compartimento do motor, onde permanece o gerador e outros equipamentos; 

Vigias: São as janelas do costado e da superestrutura que servem para dar luz ao espaço;

Escotilhas: Abertura no convés para dar passagem às pessoas para o interior do barco;

Paiol: São armários ou compartimentos para guardar objetos na embarcação;

Cockpit: área comum onde tem o comando do barco e onde as pessoas costumam ficar enquanto navegam. 

Medidas náuticas

Nó (unidade kn):  unidade de medida de velocidade equivalente a uma milha náutica por hora, ou seja 1,852 km/h;

Pé (unidade “ft”): é uma unidade de medida de comprimento, equivale a 30,48 centímetros. Um pé corresponde a 12 polegadas e três pés são uma jarda;

Milha Náutica (unidade NM): é uma unidade de medida de comprimento ou distância, equivalente a 1.852 metros; 

Termos técnicos para navegar

Guinar: virar a embarcação para bombordo ou boreste;

Arribar: afastar a proa da linha do vento;

Orçar: aproximar a proa da linha do vento;

Fundear: lançar a âncora;

Caçar: puxar um cabo;

Folgar: dar mais cabo;

Barlavento: sentido de onde o vento vem;

Sotavento: sentido para onde o vento vai;

Cambar: mudar de um bordo para outro; rodar a linha de vento pela popa;

Rumo: direção e o sentido que uma embarcação segue para ir de um ponto a outro; 

Proa: direção para onde a proa está apontando; 

Marinheiros

Existem diferentes categorias da carteira de habilitação para pilotar embarcações, sendo pré-requisito adquirir elas nessa ordem: 

  • Arrais amador: permite pilotar barcos em águas abrigadas, como rios, lagos, lagoas e baías, em uso recreativo; 
  • Mestre amador: para pilotar também por áreas costeiras;
  • Motonauta: marinheiros que buscam pilotar motos aquáticas; 
  • Capitão amador: autoriza a navegação por qualquer mar e oceano;

Com essas dicas sobre as expressões náuticas, você já pode passar da categoria de uma pessoa leiga para iniciante, não é mesmo? Agora ficou mais fácil de compreender os assuntos do mundo náutico sem cometer nenhuma gafe. 

Se você gostou deste conteúdo, siga a FS Yachts nas redes sociais e confira muitos outros temas no nosso blog. Acompanhe nossos textos pelo Facebook e Instagram.