Conheça as expressões náuticas que devem ser evitadas

Compartilhe:

Se você já conversou com algum marinheiro e ele utilizou algumas expressões náuticas que você não entendeu – não se preocupe, é muito comum isso acontecer. Os marinheiros costumam usar uma linguagem náutica que acabam aderindo com o passar do tempo. Por isso, no texto de hoje, vamos falar um pouco sobre essas expressões náuticas e quais delas devem ser evitadas.

Vamos conferir mais informações sobre o assunto, a seguir!

Principais expressões náuticas que devem ser evitadas 

Quando estamos envolvidos em alguma área ou atividade, é normal que com o passar do tempo adotemos uma linguagem mais técnica sobre o assunto – e com o mundo náutico e os marinheiros não é diferente. 

Por isso, muitas pessoas leigas e novos marinheiros podem ficar em dúvida sobre determinados termos utilizados como expressões náuticas. Portanto, se você quer ficar por dentro dessa linguagem mais técnica, tem alguns termos que você precisa conhecer e outros que você deve evitar, como, por exemplo: 

Separamos aqui alguns termos que você deve evitar e qual é a forma correta de citá-los conforme a linguagem do mundo náutico.

expressões náuticas

 

Linguagem e expressões náuticas 

Para aqueles que têm interesse em conhecer mais sobre a linguagem do mundo náutico e o que significa cada uma das expressões náuticas utilizadas pelos marinheiros, é possível encontrar na internet alguns dicionários específicos que funcionam também como um guia para iniciantes. 

Separamos uma lista com determinadas expressões náuticas mais utilizadas e qual o significado delas. Confira! 

Partes de um barco

Casco: é todo o corpo da embarcação, a parte principal;

Convés: é a parte de cima do casco, pavimento da primeira coberta;

Bordos: as laterais do barco;

Bombordo: Lado esquerdo, com a proa do barco à nossa frente e a popa atrás;

Boreste: Lado direito, com a proa à nossa frente e a popa atrás; 

Obras-vivas: É a parte do casco que fica embaixo d’água;

Obras-mortas: Parte do casco que fica acima d’água;

Bico de proa: A extremidade do casco na proa;

Casa das máquinas: É onde fica o compartimento do motor, onde permanece o gerador e outros equipamentos; 

Vigias: São as janelas do costado e da superestrutura que servem para dar luz ao espaço;

Escotilhas: Abertura no convés para dar passagem às pessoas para o interior do barco;

Paiol: São armários ou compartimentos para guardar objetos na embarcação;

Cockpit: área comum onde tem o comando do barco e onde as pessoas costumam ficar enquanto navegam. 

Medidas náuticas

Nó (unidade kn):  unidade de medida de velocidade equivalente a uma milha náutica por hora, ou seja 1,852 km/h;

Pé (unidade “ft”): é uma unidade de medida de comprimento, equivale a 30,48 centímetros. Um pé corresponde a 12 polegadas e três pés são uma jarda;

Milha Náutica (unidade NM): é uma unidade de medida de comprimento ou distância, equivalente a 1.852 metros; 

Termos técnicos para navegar

Guinar: virar a embarcação para bombordo ou boreste;

Arribar: afastar a proa da linha do vento;

Orçar: aproximar a proa da linha do vento;

Fundear: lançar a âncora;

Caçar: puxar um cabo;

Folgar: dar mais cabo;

Barlavento: sentido de onde o vento vem;

Sotavento: sentido para onde o vento vai;

Cambar: mudar de um bordo para outro; rodar a linha de vento pela popa;

Rumo: direção e o sentido que uma embarcação segue para ir de um ponto a outro; 

Proa: direção para onde a proa está apontando; 

Marinheiros

Existem diferentes categorias da carteira de habilitação para pilotar embarcações, sendo pré-requisito adquirir elas nessa ordem: 

  • Arrais amador: permite pilotar barcos em águas abrigadas, como rios, lagos, lagoas e baías, em uso recreativo; 
  • Mestre amador: para pilotar também por áreas costeiras;
  • Motonauta: marinheiros que buscam pilotar motos aquáticas; 
  • Capitão amador: autoriza a navegação por qualquer mar e oceano;

Com essas dicas sobre as expressões náuticas, você já pode passar da categoria de uma pessoa leiga para iniciante, não é mesmo? Agora ficou mais fácil de compreender os assuntos do mundo náutico sem cometer nenhuma gafe. 

Se você gostou deste conteúdo, siga a FS Yachts nas redes sociais e confira muitos outros temas no nosso blog. Acompanhe nossos textos pelo Facebook e Instagram.

Prorrogadas vistorias e validade dos documentos náuticos devido à pandemia

Compartilhe:

As consequências da pandemia do novo coronavírus também chegaram ao mundo náutico. E uma dessas consequências foi a prorrogação das vistorias e validade dos documentos náuticos devido à quarentena. No texto de hoje vamos apresentar mais informações sobre o assunto e quais são as novas datas a serem consideradas! Confira a seguir!

Quais as mudanças na validade dos documentos náuticos e vistorias? 

Já que evitar aglomerações é uma das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenir a disseminação do coronavírus, a Diretoria de Portos e Costas da Marinha Brasileira encontrou uma maneira de deixar todos mais tranquilos e seguros com relação aos documentos náuticos. Por isso, em março deste ano, foram tomadas as seguintes medidas, que desde então estão em vigência:

  1. A validade dos documentos discriminados na Portaria nº 85/DPC, de 19 de março de 2020, que estejam em vigor até 31 de dezembro de 2020;
  1. As vistorias em embarcações e plataformas previstas para serem realizadas até 31 de dezembro de 2020;
  1. A validade dos documentos da Portaria nº 86/DPC, de 24 de março de 2020, que estejam em vigor até 31 de dezembro de 2020;
  1. A validade dos certificados discriminados na Portaria nº 155/DPC, de 12 de maio de 2020, que estejam em vigor até 31 de dezembro de 2020.

Você pode conferir mais informações acessando na íntegra as portarias da Marinha Brasileira: PORTARIA Nº 86 /DPC e PORTARIA Nº 85 /DPC. Outra medida tomada pela Marinha foi suspender os cursos do ensino superior marítimo até que a situação se normalize. 

Quais orientações seguir com a prorrogação dos documentos náuticos?

A prorrogação dos documentos náuticos deve ser solicitada às Sociedades Classificadoras e às Entidades Certificadoras, para então serem efetuadas, respeitando todas as exigências da DPC informada.

Já nos casos em que as embarcações são certificadas pelas Capitanias, Delegacias e Agências da Marinha do Brasil, seus proprietários precisam solicitar as prorrogações para suas respectivas Organizações Militares – para que elas possam tomar as medidas cabíveis. 

Lembrando que a prorrogação não é válida para equipamentos de detecção e combate de incêndio, nem para os de salvatagem. Todos os documentos náuticos desses equipamentos devem estar com as vistorias em dia. 

Afinal, quais documentos são obrigatórios?

E já que estamos falando em documentos náuticos, você sabe quais deles são obrigatórios ao adquirir uma embarcação? Não se preocupe, essa é uma dúvida muito comum entre os donos de embarcações. Vamos relembrar quais os documentos náuticos são obrigatórios seguindo as exigências da Marinha Brasileira.

Os documentos de porte obrigatório são:

  • TIE/TIEM (Título de inscrição de Embarcação – Título de inscrição de Embarcação Miúda); 
  • Carteira de Habilitação de Amador e Documento de Identidade do condutor da embarcação; 

TIE/TIEM: esse é um documento emitido como um cadastro do barco no sistema de gerenciamento de embarcações da marinha. É realizada uma análise da documentação apresentada pelo usuário, caso seja aprovada, o Título de Inscrição de Embarcação é emitido para o proprietário e tem duração de 5 anos. 

Carteira de habilitação: assim como a legislação dos veículos terrestres, a dos veículos marítimos também exigem carteira de habilitação dos pilotos. Para realizar o exame é preciso ter mais de 18 anos. Existem categorias diferentes da carteira de habilitação, sendo pré-requisito nessa ordem: 

  • Arrais amador: barcos em águas abrigadas, como rios, lagos, lagoas e baías, em uso recreativo; 
  • Mestre amador: pode também navegar por áreas costeiras;
  • Capitão amador: autorizada a navegação por qualquer mar e oceano;
  • Motonauta: para pilotar motos aquáticas; 

Para saber mais informações sobre como tirar a carteira de habilitação náutica, acesse nosso conteúdo na íntegra: clique aqui


Se ainda restou alguma dúvida pendente ou para resolver alguns desses casos, entre em contato por telefone ou e-mail com a capitania dos portos responsável pela sua região. Quer receber mais conteúdos como este e ficar por dentro de todas as novidades do mundo náutico? Siga as redes sociais da FS Yachts: Facebook e Instagram.