Conheça os 7 erros comuns de quem já sabe navegar

Compartilhe:

O assunto do nosso blog é um pouco diferente dessa vez. No universo náutico, é muito comum encontrar dicas para iniciantes na navegação: maneiras de como proceder, do que revisar, principais macetes e técnicas que precisam ser aprendidas. Porém, hoje, queremos abordar aqueles que já são experientes na área, e apontar os 7 erros comuns de quem já sabe navegar! 

 

Muitos podem pensar que por ter experiência na vida náutica e por navegar com frequência há muitos anos, não cometem erros e não precisam mais de dicas de como comportar-se em seus passeios de barco. Mas não é bem assim que acontece – justamente pela autoconfiança e experiência, os pilotos acabam cometendo erros que podem virar rotina, sem ao menos serem percebidos.

 

Por isso é importante saber um pouco mais sobre esses erros comuns de quem já sabe navegar, para ter mais precaução durante os passeios e, assim, manter a segurança de todos os tripulantes da embarcação e do próprio piloto. 

 

7 erros comuns de quem já sabe navegar

 

 

  • Não checar a previsão do tempo antes de sair com o barco 

 

Esse é um dos principais erros comuns de quem já sabe navegar, afinal por considerar que consegue identificar quando o tempo está bom para uma navegação, muitos pilotos não checam a previsão do tempo antes de iniciar um passeio. Isso se torna perigoso, pois o tempo pode virar a qualquer momento e surpreender negativamente a viagem e a tripulação. 

 

 

  • Não respeitar os limites da embarcação

 

Outro erro comum de quem já sabe navegar é não respeitar os limites da sua embarcação. Por já conhecer seu barco e ter feito diversos passeios com ele, os pilotos mais experientes acabam desrespeitando os limites da embarcação – muitas vezes, até sem perceber.

E quando citamos limites, são em todos os sentidos: limite físico (de quanto a embarcação resiste a fortes ventos e fortes ondas), limites de tripulação (de colocar muito tripulantes, desrespeitando o limite de peso no barco), limite de velocidade (podendo provocar acidentes e complicações na embarcação). 

 

 

  • Beber e pilotar

 

Adquirir confiança ao navegar é fundamental para garantir um passeio seguro e tranquilo. Mas, Infelizmente, muitos pilotos utilizam dessa experiência e acabam constatando que não há problema em beber e depois pilotar. 

Esse é um grande erro, pois a bebida alcoólica afeta os reflexos, diminui a atenção, entre outros aspectos do piloto, podendo ocasionar acidentes graves. Por isso, essa regra de não pilotar embriagado deve ser respeitada por todos, sem exceção. 

 

 

  •  Sair sem conferir o combustível

 

Não conferir o nível de combustível do barco: esse é mais um dos erros comuns de quem já sabe navegar. É importante calcular o combustível que será gasto durante o passeio (o peso do barco e o mar agitado acabam influenciando nessa conta), já que a quantidade de pessoas na lancha e o mar turbulento, acabam consumindo mais combustível, pois exigem mais da embarcação. A dica, nesse caso, é saber a média de quantos litros de combustível seu barco gasta para percorrer uma milha. 

 

 

  • Ignorar os itens de segurança a bordo

 

Outro erro comum de quem já sabe navegar é não dar atenção aos itens de segurança que precisam estar na embarcação caso seja necessário o uso dos mesmos. É fundamental que os extintores, os coletes salva-vidas e os foguetes sinalizadores (quando necessários) estejam presentes em todos os passeios e com a data de validade no prazo certo.  

 

 

  • Não realizar manutenção preventiva

 

Quem faz parte da vida náutica, precisa conhecer a importância em manter a manutenção preventiva em dia. A revisão de alguns itens como motores e geradores são de extrema relevância para evitar danos ao barco e assegurar a proteção dos tripulantes. Logo, inspecionar as válvulas do casco, anodos, vigias, tanques, filtros, instalação elétrica, reparos e limpezas é essencial. 

 

 

  • Desobedecer às instruções de navegação

 

Por último e não menos importante, muitos pilotos acabam desobedecendo às instruções de navegação. E esse é um grande erro, já que uma das instruções mais relevantes é olhar a carta náutica antes de qualquer viagem.

Sem conferir este item de segurança, que é a carta náutica, o risco de acontecer problema durante a navegação é maior, pois com ela é possível mapear o local de navegação, verificar qual é o melhor e mais seguro caminho a se fazer.

 

Diante desses erros comuns de quem já sabe navegar, agora você pode voltar a pilotar com maior segurança e se atentar a todos esse detalhes e instruções citados acima. Quer receber mais conteúdos como esse, siga as redes sociais da FS Yachts: Facebook e Instagram e fique por dentro de nossas novidades, ok!

Entenda como cortar onda com barco pequeno

Compartilhe:

Você que adquiriu um barco pequeno e está ingressando agora na vida náutica, precisa de algumas dicas antes de sair navegando. Uma das lições importantes a se aprender é como cortar onda com barco pequeno. Essa é uma manobra de segurança que o piloto precisa tomar para proteger todos a bordo.

 

Como sabemos, no mar também existem regras de trânsito que devem ser respeitadas. As normas de navegação foram criadas para manter a segurança de todos os envolvidos. Você pode conferir algumas dessas regras neste conteúdo aqui.

 

Além das regras de navegação impostas pelo Regulamento Internacional para Evitar Abalroamento no Mar (RIPEAM), existem também técnicas e manobras que os pilotos iniciantes precisam aprender para serem executadas em casos de emergência.

 

Mas, afinal, como cortar onda com barco pequeno?

 

Quem está navegando está sujeito a se deparar com as mudanças da natureza, ventos fortes, instabilidade no tempo, tempestades, grandes ondas, e o piloto, mais do que ninguém, precisa estar preparado para todas essas situações – principalmente se for uma embarcação de pequeno porte. 

 

É sempre mais fácil navegar a favor das ondas, do que contra elas. Mas quando for preciso navegar contra, algumas medidas de proteção devem ser tomadas na hora de cortar onda com barco pequeno, seja por questões de periculosidade, ou desconforto ao quebrar as ondas de frente.

 

A parte da proa da embarcação é feita justamente para cortar melhor as ondas, mas isso em caso de ondas pequenas, caso seja preciso enfrentar ondas maiores com o barco pequeno, o mais indicado é cortar as ondulações em 30 a 45 graus para o lado – sempre com a velocidade reduzida de forma que mantenha a proa bem levantada para que não entre água no barco. 

 

Dicas de como se preparar para uma boa navegação

 

  • Verificar as condições do local onde vai navegar

O primeiro passo antes de iniciar uma navegação é conhecer e coletar o máximo de informações sobre o lugar escolhido para o passeio. Assim o piloto pode analisar e se preparar para as possíveis situações que vai enfrentar.

 

  • Consultar a previsão do tempo

Uma das melhores fontes de navegação para os pilotos, é a previsão do tempo. É a partir dela, que pode-se prever as condições climáticas e assim programar o passeio em segurança. 

 

  • Certifique-se que o barco esteja com a manutenção em dia

Antes de iniciar qualquer navegação é imprescindível que o piloto certifique-se que o barco está com tudo em ordem – motores, geradores, bússola, combustível, entre outros equipamentos de navegação. 

 

  • Segurança a bordo

Mostre a todos os passageiros que estão a bordo, onde ficam os coletes salva-vidas, o kit de primeiros socorros, os extintores e outros itens de segurança. Peça também que permaneçam sentados sempre que o barco for sair ou parar em algum ponto.

 

  • Respeite o limite de velocidade e as leis de trânsito

Conforme já citamos, existem leis de trânsito na água e elas precisam ser respeitadas. Mantenha a velocidade adequada, principalmente quando estiver próximo a outras embarcações. Vale também ler o Regulamento Internacional para Evitar Abalroamentos no Mar (RIPEAM) e as normas da Capitania dos Portos de sua área de navegação.

 

  • Fique atento as outras embarcações

 

Você como piloto precisa estar atento a tudo a sua volta, desde respeitar o espaço dos banhistas, até manter a distância de grandes embarcações – dificilmente elas conseguem visualizar barcos pequenos devido a sua altura. E se avistar outras pequenas embarcações ou barcos de remo, passe em baixa velocidade perto deles, dependendo da força das ondulações pode até virar o outro barco.

 

 

Outra dica valiosa para uma boa navegação, é escolher uma embarcação de qualidade, que proporcione segurança ao seu passeio, assim como a FS Yachts, que segue todas as normas da construção naval, lhe oferece garantia e atendimento de forma exclusiva. 

Agora que você já sabe como cortar onda com barco pequeno e as principais dicas para uma boa navegação, ficou mais fácil navegar, não é mesmo? Se ainda restam dúvidas sobre o assunto, fale com quem entende do assunto – entre em contato com a nossa equipe.

Ar condicionado marinizado: saiba a diferença entre o ar condicionado residencial e um náutico

Compartilhe:

Nem as embarcações escapam dos dias quentes de verão, pelo contrário, o calor dentro dos barcos e lanchas costuma ser ainda maior. E a melhor solução para dias assim, é o famoso ar condicionado. Mas e como escolher o ar condicionado certo para essa finalidade? É o mesmo ar condicionado doméstico ou não? Se você tem dúvidas como essas, nós vamos te explicar tudo sobre o ar condicionado marinizado. 

 

Confira mais informações a seguir! 

 

A primeira questão que precisa ser respondida é: o ar condicionado doméstico é diferente do  ar condicionado marinizado? Sim, e muito. Existem diversos motivos para que cada um seja utilizado para sua devida finalidade, por exemplo: o ar condicionado doméstico não está preparado para suportar a vibração causada pelos movimentos das águas, muito menos preparado para suportar o efeito da maresia como o ar condicionado marinizado está.

 

Qual a diferença entre ar condicionado doméstico e ar condicionado marinizado?

 

A principal diferença está na forma de resfriar o gás comprimido dentro do aparelho. O ar condicionado marinizado tem um ciclo diferente do normal, que é feito com a água salgada (que faz o refrigeramento da condensadora), assim a capacidade de resfriamento é maior. 

 

Em questão de eficiência os dois tipos de aparelhos funcionam de forma igualitária em questão de tamanho dos ambientes que vão refrigerar. Quanto maior o espaço, maior precisa ser a potência do ar condicionado marinizado. Antes de escolher o produto, tudo isso precisa ser analisado: o espaço, a quantidade de janelas, até mesmo a cor do casco da embarcação precisa ser levada em conta, pelo fato dos cascos escuros reterem mais a incidência solar. 

 

Outra diferença entre os dois aparelhos é que o ar condicionado marinizado além de ser para resfriamento do local, ele também é utilizado para diminuir a umidade do ar, que é muito alta nas embarcações.

 

Se esses fatores não forem analisados na hora da compra, pode ser que venham acontecer falhas na utilização. O aparelho pode ficar fraco, pois forçará muito a sua capacidade, gastar mais energia do que deveria e ainda pode causar problemas técnicos. 

 

O que levar em conta ao instalar um ar condicionado marinizado?

 

Esse é um item que precisa realmente ser levado em consideração, pois a instalação é extremamente importante para que haja um bom funcionamento do aparelho. 

 

Hoje, grande parte das reclamações e problemas gerados nos aparelhos é devido a falta de preparo na hora de instalar. Por isso, o aparelho deve ser instalado seguindo todas as recomendações do fabricante e por uma empresa ou profissional especializados. 

 

O dono da embarcação deve ficar atento na hora da compra do produto. É importante verificar todos os sistemas presentes no ar condicionado marinizado e testar o bom funcionamento de cada um deles. 

 

Se todos estiverem funcionando corretamente, possivelmente qualquer problema que venha acontecer poderá ser algum defeito de fábrica, já que esse tipo de problema tende a aparecer assim que o aparelho é ligado.

 

Caso o usuário tenha a embarcação há mais tempo e queira instalar o equipamento de ar condicionado náutico, também é possível. E a dica de conferir o bom funcionamento após a instalação também é válida.  

 

O ar condicionado marinizado precisa de manutenção?

 

Sim! Assim como os demais aparelhos dessa categoria, eles precisam de manutenção preventiva e constante. Os fabricantes geralmente indicam limpar os filtros com água doce,  periodicamente, para mantê-los higienizados, garantindo a saúde respiratória de todos os usuários da embarcação. 

 

Mesmo com o ar condicionado devidamente instalado é preciso estar sempre prestando atenção ao equipamento, já que exige uma manutenção regular. A instalação do aparelho deve ser feita num local adequado que facilite o acesso do usuário para realizar a manutenção preventiva, como a limpeza do filtro. 

 

Se você gostou de ficar por dentro desse assunto e ainda quer saber mais sobre o mundo a bordo, é simples! Basta você seguir nossas redes sociais: Facebook e Instagram e conferir todas as novidades da FS Yachst. 

Geradores marinizados: entenda a importância de utilizar um gerador náutico de qualidade

Compartilhe:

O processo de compra e escolha de uma embarcação se torna empolgante. Na hora ficamos deslumbrados com as cores, os formatos, os modelos e tamanhos, mas existem muitos outros detalhes que precisam da nossa atenção, como, por exemplo, a qualidade do gerador náutico – afinal é ele que vai dar suporte para grande parte dos outros acessórios da embarcação.

 

Há um tempo atrás somente lanchas de grande porte faziam uso de geradores marinizados, mas, hoje em dia, ter uma fonte de energia segura e confiável se tornou um dos itens a serem avaliados por todos os usuários, por questão de segurança e  de produtividade.  

 

Para que você entenda em detalhes a importância dos geradores marinizados, que nós preparamos esse conteúdo. Acompanhe abaixo os diferenciais de investir num gerador náutico de qualidade. 

 

Por que investir nos geradores marinizados é uma boa alternativa? 

 

Os novos modelos de embarcações trazem cada vez mais acessórios e equipamentos que demandam de energia elétrica, que muitas das vezes as baterias não dão conta de suportar toda essa carga. 

 

Acessórios e equipamentos como microondas, fogão, ar condicionado, aquecedor de água, churrasqueira elétrica, geladeira. Um problema de falha na geração de energia pode se tornar caro e apresentar riscos, principalmente a bordo. 

 

No Brasil, os geradores marinizados podem ser encontrados de dois tipos: nacionais e importados. Uma das principais diferenças entre os modelos é que os nacionais costumam apresentar valor mais baixo que os importados. 

 

Por isso, é importante antes de adquirir o produto nacional, se informar bem sobre a rede de autorizados e buscar a opinião de pessoas de confiança que já tenham o equipamento, para avaliar se realmente vale pena. Afinal, geradores marinizados possuem um sistema relativamente complexo, que se não for de boa qualidade, trará muita dor de cabeça. 

 

Cada modelo é indicado para um tipo diferente de carga e de uso, para que assim possa atender todas as necessidades do usuário e da embarcação. Existem os geradores com base a combustível de gasolina e outros a  diesel (dos mais utilizados nas embarcações). 

 

Geradores marinizados são indicados para quais embarcações? 

 

Os geradores marinizados são indicados em embarcações a partir de 28 pés, em casos que a demanda dos equipamentos elétricos da embarcação for maior que 2kW. Acima disso, não é recomendado o uso de baterias e nem de geradores comuns, que não são adequados para essa finalidade.

 

Geralmente o equipamento é instalado no porão, onde é importante que seja realizado um isolamento acústico extra, fora o dele próprio, que servirá de proteção para o equipamento e também para o conforto do usuário. 

 

Cuidados com os geradores marinizados 

 

1. Instalação deve ser feita por profissionais 

 

Os geradores marinizados sempre devem ser instalados por profissionais especializados, para que eles possam escolher o melhor local para instalação, para montar o sistema de alimentação de combustível e energia elétrica, assim como a instalação do painel de controle do gerador. Além disso, ter o gerador já instalado na embarcação antes de sair da fábrica é ainda melhor. 

 

2. Manutenção periódica é indispensável 

 

Por ser um equipamento que contém componentes sensíveis e específicos, os geradores marinizados precisam de manutenção preventiva e regular,  para manter a boa funcionalidade, evitar falhas e prolongar a vida útil do mesmo. Assim como a instalação, a manutenção também deve ser realizada por profissionais qualificados.  

 

Existem alguns erros comuns na hora de instalar um gerador marinizado sem o auxílio de um profissional adequado. O principal erro é não calcular a potência máxima consumida por todos os equipamentos presentes na embarcação, sobrecarregando o gerador e podendo trazer complicações. 

 

Quando não calculada a potência máxima, outro erro comum é ligar todos os equipamentos elétricos,  sem se dar conta que o gerador não é capaz de suportar – justamente por falta de informação técnica. 

 

Bom, depois de entender um pouco mais sobre os geradores marinizados, podemos compreender a importância de utilizar um gerador náutico de qualidade nas embarcações – tanto pela questão de proteção dos usuários, quanto em questão de segurança da própria lancha. 

 

 

Por isso, na hora de escolher lembre-se de quem realmente entende do assunto e que pode ajudar a tirar todas as suas dúvidas – a FS Yachts. Siga nossas redes sociais e fique por dentro de mais assuntos como esse: Facebook e Instagram

 

O que não pode faltar num passeio de lancha em Florianópolis?

Compartilhe:

A Ilha da magia não recebe esse nome em vão. Para os amantes de clima tropical e passeios à bordo, Florianópolis é o lugar certo! São tantas as opções de programação de atividades e aventuras que fica difícil até escolher. Por isso, no texto de hoje, vamos mostrar o que não pode faltar num passeio de lancha em Florianópolis. Confira!

 

O litoral catarinense é conhecido pela sua variedade de lindas praias. Esse é o destino de quem gosta de fazer seus passeios em alto mar, praticar esportes náuticos, mergulhos, pesca e toda as outras atrações que esse paraíso tropical pode nos oferecer. Vamos conferir algumas dessas atrações para praticar com sua lancha:

 

Principais atividades para um passeio de lancha em Florianópolis

 

Mergulho livre e mergulho profissional

 

Pra quem é um pouco mais ousado no passeio de lancha em Florianópolis e gosta da liberdade de um mergulho livre, a cidade tem lugares incríveis, que farão o seu mergulho ser inesquecível, como a Ilha do Arvoredo, a Ilha do Xavier, Ilha do Campeche, entre muitas outras praias. 

 

Já para quem tem interesse em praticar um mergulho profissional, com equipamentos, filmagens e instrutor, Florianópolis tem muitos locais indicados com equipes preparadas para acompanhar todo o passeio garantindo a segurança e diversão do passeio. 

 

Pescaria embarcada

 

Se você tem interesse em um passeio de lancha em Florianópolis mais tranquilo, menos radical, como a pesca embarcada. A Ilha da Magia também tem opção de lazer para você! A cidade tem locais com águas calmas e límpidas que são propícias para a pesca em alto mar com sua lancha FS. 

 

Churrasco a bordo e boas companhias

 

Além de todas essas opções de entretenimento que você e sua família podem curtir no passeio de lancha em Florianópolis – não podemos esquecer de um bom churrasco à bordo de boas companhias. Não tem nada que seja tão a cara do verão de Floripa, do que amigos e boas risadas em clima de férias.

 

Floripa conta também com várias opções de restaurantes e festas 

 

Passear de barco pela Ilha da Magia é uma ótima alternativa para conhecer bons restaurantes e desfrutar de toda gastronomia que você encontra somente em Florianópolis. Locais como: Lagoa, Ribeirão da Ilha, Santo Antônio de Lisboa e Governador Celso Ramos são algumas das regiões mais indicadas. 

 

Para quem curte o agito, Tinguá é o local perfeito para você. Na região, muitos barcos se juntam para aproveitar dias mais badalados em Floripa. 

 

Programação e planejamento

 

Outra dica que não pode faltar num passeio de lancha em Florianópolis, é um belo dia de sol e calor! Para isso é indicado que você se programe antes de marcar seu passeio de lancha, confira a previsão do tempo, faça um roteiro de viagem, peça ajuda para quem conhece bem os locais que serão visitados e quais as observações a serem levadas em consideração.

 

Se você ficou interessado em realizar o seu passeio de lancha em Florianópolis e não sabe qual o barco certo para esse passeio? Entre em contato conosco agora mesmo ! As lanchas FS são ideais para todos esses tipos de atrações e nós ainda te ajudamos a escolher de acordo com suas necessidades. 

 

Acesse nosso site e fale com um de nossos atendentes FS Yachts

 

Como atracar a embarcação com segurança?

Compartilhe:

Em nosso blog já relatamos diversas dicas náuticas para os cuidados com o barco, os esportes que podem ser praticados com uma lancha, como é viável evitar incidentes a bordo, entre outras. Porém, um tema importante e que também merece destaque é como atracar a embarcação com segurança. 

Os cuidados para realização da manobra pode parecer uma tarefa difícil se você não tem muita experiência em pilotar um barco, porém não é. Seguindo algumas regras básicas, principalmente dependendo das condições em que o mar, rio e lagoa se encontram, é possível atracar a embarcação com toda tranquilidade. 

 

Para tirar todas as suas dúvidas sobre o tema, que o texto da FS Yachts tratará hoje. Confira abaixo três dicas para atracar a embarcação com segurança. 

 

4 cuidados fundamentais para atracar a embarcação com segurança

 

1. Atraque o barco contra o vento 

A primeira dica para atracar a embarcação de forma segura é sempre ir contra a direção do vento. Ao atracar a lancha em uma marina, por exemplo, normalmente há a existência de outros barcos no local, portanto os cuidados devem ser redobrados para não ocorrer incidentes. 

Quando pensamos no vento, esse é um fator que pode dificultar a manobra com a embarcação. Afinal, se ele estiver muito forte, pode ocorrer da lancha ser empurrada contra o píer, podendo bater nas demais lanchas que estejam no local e impedindo que você faça uma boa atracação. 

Portanto, para evitar que isso aconteça com você, é fundamental atracar a embarcação contra o vento. O vento serve como um freio natural ao barco, garantindo que a manobra seja adequada e tranquila, e, além disso, impedindo que ocorra qualquer incidente com as demais embarcações no local. 

 

2. Mantenha a velocidade reduzida 

Mais uma regra básica para atracar a embarcação com segurança é a atenção redobrada ao se aproximar de uma marina, pois as marolas criadas pela lancha podem prejudicar tanto o seu barco, quanto os outros que também estão atracados. 

Logo, o recomendado é que a aproximação seja feita com calma, em uma velocidade reduzida para que as marolas não sejam criadas, evitando que você faça ondas para os outros barcos, afinal, além do excesso de onda incomodar quem esteja no barco sozinho, pode gerar pequenos prejuízos na embarcação, como, por exemplo, arranhões. 

 

3. Use a marcha lenta 

Um dos segredos do universo náutico para atracar a embarcação de forma segura é a marcha lenta. O que isso quer dizer? O barco deve estar a uma velocidade baixa, para que assim você consiga ter o controle da lancha enquanto encosta ela no píer. 

 

4. Realize a chegada ao píer no ângulo de 45°

Por fim, a última dica para atracar a embarcação com segurança é chegar ao píer com a lancha num ângulo de 45 graus, especialmente se o mar estiver agitado. A partir desse ângulo é possível que o barco fique contra a direção do vento e das ondas. Além disso, permite uma melhor visualização do local onde a lancha será atracada.

 

Agora que você já sabe como atracar a embarcação com segurança, que tal conhecer os principais modelos de lanchas FS Yachts? Entre no nosso site e confira detalhes sobre a qualidade, acabamento , conforto e design único das nossas embarcações.

5 dicas de navegação para iniciantes

Compartilhe:

O sonho de comprar um barco está na lista de desejos da maioria das pessoas. Afinal, adquirir uma lancha significa ter um produto único e que possibilita a realização de diversas atividades de lazer com a família, amigos e até mesmo sozinho. Pesca, prática de esportes são alguns dos exemplos do que também pode ser feito com uma lancha. 

 

No entanto, após a compra da embarcação é comum surgir dúvidas, principalmente na navegação para iniciantes. Pensando nisso, a FS Yachts preparou esse conteúdo com as principais informações para quem deseja fazer um passeio tranquilo com sua lancha, mesmo que com pouca experiência. Acompanhe! 

 

Principais dicas e cuidados de navegação para iniciantes! 

 

1. Busque informações sobre o local do passeio 

A primeira dica de navegação para iniciantes é sempre buscar informações sobre o local onde você realizará o passeio. Como sabemos, os mares e rios nos proporcionam belas paisagens, entretanto, precisam de cuidado e muita atenção. 

Por isso, pergunte às pessoas que já navegaram na região como é o trajeto e se as águas são calmas ou turbulentas, por exemplo. Pois é melhor prevenir, para não ser pego de surpresa com algum imprevisto durante o passeio. 

 

2. Verifique as condições de segurança dos tripulantes 

Realizar um passeio de barco com a família é a certeza de viver momentos marcantes, que ficarão guardados na memória. É a oportunidade de unir diversão, lazer e bem-estar. No entanto, é preciso tomar algumas medidas para garantir que o passeio seja tranquilo. 

Por isso, a próxima dica FS Yachts de navegação para iniciantes é verificar as condições de segurança dos tripulantes. Logo é importante que a embarcação conte com coletes salva-vidas para todos a bordo, para que em caso de emergência, eles possam ser usados para proteção. 

Mas, além de objetos para segurança, o navegador iniciante precisa cuidar a velocidade também. Com pouca experiência é fundamental manter uma velocidade constante. Além disso, na hora de acelerar com a embarcação certificar-se que todos estão sentados, para que não ocorra nenhum incidente. 

 

3. Distribua o peso a bordo 

A estabilidade da lancha é outro ponto que merece cuidado na navegação para iniciantes. Durante o passeio com a embarcação é importante fazer a distribuição de peso a bordo corretamente, para que assim, o barco não fique instável, prejudicando o bom desempenho da lancha, em especial, no caso, de barcos menores. 

Além disso, no caso da navegação em mares ou rios com águas mais turbulentas, por exemplo, ter a distribuição de peso adequada ajuda a mantê-lo seguro contra qualquer imprevisto. 

 

4. Consulte a previsão do tempo 

Uma das dicas fundamentais de navegação para iniciantes é consultar a previsão do tempo sempre antes de sair com a lancha. Saber com antecedência como o tempo irá se manter durante o passeio é importante para evitar contratempos. 

Para isso, a Marinha do Brasil, por exemplo, conta com o Centro de Hidrografia e Navegação. Órgão que monitora o tempo e oceano 24 horas por dia e fornece informações exatas das condições para você programar uma navegação tranquila. 

 

5. Reduza a velocidade durante à noite 

Um passeio de lancha nem sempre é feito de dia, em alguns casos, as pessoas preferem o final da tarde e até mesmo a noite. Porém, para quem está iniciando na navegação e queira se aventurar no passeio noturno, a velocidade é um item importante. Nesse caso, o indicado é que ela seja relativamente reduzida. E, além disso, não esqueça de utilizar as luzes de navegação noturna. 

 

Gostou das dicas? Quer saber mais dicas sobre o universo náutico e as lanchas FS Yachts? Siga as nossas redes sociais: Facebook e Instagram e fique por dentro das novidades. 

4 esportes náuticos para praticar com sua lancha

Compartilhe:

Normalmente quando pensamos em lanchas a primeira alternativa que vem à cabeça é a oportunidade de navegar pelas águas brasileiras, conhecer a nossa costa e toda a beleza que ela proporciona. No entanto, comprar um barco significa muito mais, podendo ser a oportunidade de lazer e também da prática de esportes náuticos.

Se você curte adrenalina e aventuras radicais, a lancha é uma das opções. Ela garante a diversão e entretenimento de quem opta por esse tipo de esporte, afinal, como sabemos a prática esportiva traz diversos benefícios para a saúde, tanto física quanto mental. A realização de qualquer modalidade reduz a ansiedade e previne várias doenças.

 

E na água há muitos esportes que podem ser realizados. Por isso o texto de hoje da FS Yachts é dedicado a este tema. Aqui, você saberá quais os principais esportes náuticos que podem ser praticados com a sua lancha. Confira abaixo 4 exemplos!

 

Modalidades de esportes náuticos para praticar com sua lancha

 

1. Esqui Aquático 

A prática do Esqui Aquático requer atenção e equilíbrio dentro da água, principalmente de quem está realizando o esporte. Para isso é recomendado no mínimo duas pessoas a bordo do barco, uma para pilotar e outra para manter o esquiador sempre a vista. A velocidade média da embarcação para o Esqui Aquático é de 32 km/h. 

O Esqui Aquático no Brasil é conhecido e praticado há mais de 20 anos, e entre as modalidades existentes temos: Truques, Rampas e Slalom. Dentre as atividades a que permite um melhor desenvolvimento dentro d’água é a Slalom, pois seu objetivo é verificar o número de vezes que a pessoa consegue realizar a pista. 

Porém, a prática do Esqui Aquático pode ser também somente para o entretenimento, um hobby dos adoradores dos esportes náuticos. Vale destacar que a modalidade trabalha a resistência e força dos seus praticantes. De acordo com pesquisas o valor calórico gasto em uma hora do esporte é de até 400 Kcal.

 

2. Wakeboard 

Um pouco mais radical que o Esqui Aquático, o Wakeboard é considerado um dos esportes náuticos mais praticados no mundo. Para sua realização é preciso uma prancha menor e mais leve que as tradicionais pranchas de surf. Além disso, ela é composta por duas botas acopladas para que o esquiador se mantenha preso na superfície. 

Para a prática do Wakeboard uma corda com manete é presa sobre a lancha para que o esquiador agarre-se e flutue pela água. Por isso ele deve ser feito no mínimo por 3 pessoas: o piloto responsável por conduzir a lancha, outro para ficar atento ao esquiador e o praticante do esporte. 

Para garantir a segurança do wakeboarder o uso de colete salva-vidas modelo esportivo é indispensável. 

 

3. Wakesurf 

Derivado do Wakeboard, o Wakesurf apresenta suas peculiaridades, no entanto é uma das modalidades de esportes náuticos que ganha cada vez mais adeptos. Assim como o nome diz, o esporte é conhecido como surf, porém as ondas são feitas pela lancha. 

Relativamente novo, o Wakesurf é praticado especialmente em rios e lagos, ou mares com poucas ondas. Nesse caso, a lancha serve para dar suporte ao surfista para que ele se equilibre para pegar a onda. Para essa modalidade é necessário uma lancha que gere uma onda maior para que o praticante possa surfá-la. 

 

4. Pesca Esportiva 

Dos esportes náuticos já citados, a pesca esportiva é menos conhecida no Brasil, mas já é praticada por muitas pessoas. Diferente da pesca recreativa que tem como objetivo o entretenimento, na categoria de esporte ela apresenta regras e definições. 

A primeira diferença nas competições é que há um acordo entre os competidores e a organização para que os peixes sejam entregues à água após a prova. A segunda finalidade – em alguns casos – é pescar os maiores peixes possíveis no menor tempo possível, entre outras características. 

 

Gostou das dicas? A FS Yachts conta com modelos ideais para a prática de diversos esportes náuticos. Entre no nosso site e escolha já a sua lancha!

Como evitar o efeito da maresia no seu barco

Compartilhe:

A compra de um barco é para muitos a realização de um sonho. Afinal, navegar pelos nossos mares e rios é uma sensação única, cheia de descobertas e belas paisagens. No entanto, após adquirir a embarcação é preciso tomar alguns cuidados como a manutenção preventiva para melhor conservação da lancha

Porém, há uma situação que gera preocupação entre os marinheiros e amantes da navegação: a maresia. A combinação da água e sal que ocorre no fenômeno precisa ser retirada todos os seus resquícios para não prejudicar a embarcação. 

Logo, para que seu barco não sofra com os efeitos da maresia que a FS Yachts preparou esse texto. Vamos contar três cuidados básicos para evitar que a maresia cause danos a sua lancha. Confira! 

 

O que é maresia? 

Antes de falar sobre quais os cuidados para evitar o efeito da maresia no seu barco, é importante explicar o que é esse fenômeno. Pois bem, a maresia nada mais é do que uma névoa de gotas finas e úmidas que sobem do mar quando as ondas tocam a areia. 

Assim como dito anteriormente, a maresia é uma mistura de água e sal que em contato com ferro e metais faz a corrosão dos objetos. Nas lanchas, um dos principais problemas é a ferrugem, que prejudica o casco da embarcação. 

 

Mas, afinal, como evitar o efeito da maresia no barco? 

 

1. Lave o barco com água doce 

Com certeza você deve estar pensando essa alternativa um pouco estranha, não é mesmo? Contudo, lavar o barco com água doce é uma das maneiras mais eficazes de retirar todas as gotículas de água e sal da maresia, pois a água doce não contém nenhum intempérie que prejudique o casco da lancha. 

 

2. Invista em capas de proteção

Se seu barco não possui um lugar específico para ser guardado, como por exemplo, uma marina, é fundamental que ele não fique o tempo todo na água, sem nenhum abrigo. Para isso, uma das alternativas é investir nas capas de proteção. 

As capas ajudam a prevenir que o barco fique exposto aos efeitos da maresia e outras ações do tempo e umidade, que aceleram os efeitos de danos à embarcação. Portanto, essa é uma maneira de garantir que a maresia não tenha efeito negativo no barco. 

Lembrando que antes de utilizar a capa na embarcação é fundamental que o barco tenha sido lavado com água doce para retirar todos os resquícios da maresia. Afinal, a lancha sendo encapada com o sal do fenômeno pode acelerar os efeitos da corrosão. 

 

3. Utilize produtos específicos para limpeza do barco 

Se possível é importante utilizar na hora da limpeza do barco produtos específicos para proteger a embarcação da maresia, além de água e sabão. Lembrando, é claro, de retirar todos os resquícios do produto após a lavagem. 

Já a limpeza do motor, por exemplo, o indicado é usar produtos biodegradáveis, para retirar a graxa e óleo. E após, colocar um spray à base de silicone para proteger dos efeitos da maresia. 

 

Dica importante: Para fazer a lavagem o indicado é não utilizar esponjas de aço, nem produtos a base de cloro e outros itens que estraguem o barco. O indicado são produtos neutros e sem álcool. 

 

Agora que você já sabe como proteger seu barco dos efeitos da maresia, que tal conhecer os modelos de lanchas da FS Yachts? Entre no nosso site e saiba mais informações.

Confira como foi a participação da FS Yachts no São Paulo Boat Show!

Compartilhe:

De 19 a 24 de setembro São Paulo foi a capital do maior salão náutico indoor da América Latina: o São Paulo Boat Show. O evento que reuniu mais de 36 mil pessoas foi a oportunidade que os amantes de lanchas, iates, jet ski, motos aquáticas, infláveis, caiaques e acessórios para as embarcações tiveram para admirar, conhecer e comprar o seu próprio barco. 

Em 2019, o São Paulo Boat Show chegou a sua 22ª edição, com mais de 70 expositores no Centro de Convenções São Paulo Expo. O evento arrecadou cerca de R$170 milhões na venda direta de 275 embarcações, um crescimento de 10% em relação a 2018. Quem passou por lá pode conferir de perto os grandes barcos e também os lançamentos do mercado náutico para esse ano. 

E a FS Yachts, sendo um dos maiores estaleiros do país, não poderia ficar de fora do evento, por isso marcamos presença em mais um ano. Para mostrar como foi nossa participação na 22ª edição do São Paulo Boat Show preparamos esse texto. Vamos revelar também a surpresa que planejamos exclusivamente para o evento. Confira! 

 

Nossa linha de lanchas expostas no São Paulo Boat Show 

 

Quem passou pelo São Paulo Boat Show nesses seis dias de evento pode verificar as principais linhas de lanchas comercializadas pelo nosso estaleiro. Embarcações modernas e com design diferenciado, marca registrada das lanchas da FS Yachts. 

No total, a FS Yachts conta com 11 modelos em linha, porém na feira foram sete expostos, entre eles: FS 180, FS 205, FS 215, FS 230 Scappare, FS 260 Element, FS 290 Concept e FS 360 Allure. Todos os modelos comercializados com condições especiais de fábrica. 

Mas a participação da FS Yachts não se resumiu somente a exposição destes modelos, preparamos para o São Paulo Boat Show mais um lançamento, a linha Swiss Edition. Uma versão comercializada em todas as nossas embarcações. Na feira foram expostos os modelos FS 360 Allure e FS 265 Element da linha Swiss Edition. 

 

FS 360 Swiss Edition: novo lançamento da FS Yachts 

 

A nova lancha da FS Yachts conta com o requinte e conforto dos demais modelos fabricados pelo nosso estaleiro. Características que você nosso cliente já conhece. O diferencial da linha Swiss Edition está no acabamento do seu estofado e cor exclusiva. 

Com capacidade para 14 pessoas a bordo, pernoite para 2 casais e cabine de 1,95m de pé-direito, o modelo oferece segurança e bem estar para quem quer aproveitar um passeio com a família e amigos nos mares e rios brasileiros. 

Os barcos exportados para a Suíça possuem uma customização exclusiva, com o modelo Artic nos estofados aplicados nas lanchas (26 e 36), pintura nas cores grafite (360), azul com targa preta (265) e o Deck EVA personalizado.

Em comemoração ao aniversário de 20 anos do nosso estaleiro, estamos oferecendo para nossos clientes essa versão exclusiva de exportação Swiss Edition também para o mercado interno.

Estamos exportando para Brienz, na Suíça. Na cidade existe o lago Brienz,  situado no norte dos Alpes suíços que é o principal lugar para navegação da região. A nova linha Swiss Edition também deve ser exposta em Bern e Genebra. Abaixo imagem do lago Brienz. 

Lago Brienz

Essa foi a participação da FS Yachts em mais uma edição do São Paulo Boat Show. Se você não pôde comparecer neste ano, não se preocupe, em 2020 tem a próxima edição e nós estaremos lá. 

 

Destaque: O setor náutico, um dos que mais cresce no Brasil, movimenta por ano em torno de R$5 bilhões. Afinal, nosso país conta com 8.500 quilômetros de costa atlântica e 45 mil quilômetros de baías, lagos e rios para navegação, por isso atrai a atenção dos maiores expositores internacionais. 

 

Mas caso você não queira esperar até ano que vem para saber mais informações sobre nossas lanchas. Siga o Facebook e Instagram da FS Yachts e confira os modelos disponíveis para venda.