Blog

Guia de Seguro Náutico: entrevista com RKR Seguros

Compartilhe:

Imagine o seguinte cenário: você conferiu a previsão do tempo e escolheu o melhor dia para a navegação, deixou separados todos os itens que precisam ser levados em um passeio de barco, calculou o quanto de combustível será necessário para o passeio e se preparou para prevenir e combater o enjoo em alto mar. Você está 100% pronto. Contudo, por mais preparado que se esteja, acidentes acontecem, e nós nunca sabemos quando. Numa hora dessas, independente das medidas que tenham sido tomadas, somente um seguro náutico poderá ajudar.

Assim como o equivalente para os automóveis, o seguro náutico é um plano de assistência a embarcações e seus passageiros, garantindo ressarcimento dos prejuízos no caso de acidentes e até roubos. Mesmo com o conhecimento e prática de todas as sinalizações e manobras para contornar situações de perigo, contratar um seguro náutico continua sendo a melhor precaução para navegar com tranquilidade.

Ainda que o plano básico de seguro náutico costume cobrir eventos como roubo, perda total, naufrágio e colisão, existem certos aspectos que exigem coberturas mais amplas ou mais específicas, além, é claro, de comunicação clara com a seguradora.

Foi pensando nisso que a FS Yachts trouxe este guia para você hoje. Após uma longa e esclarecedora conversa com Rudney, sócio da RKR Seguros, especializada em seguros náuticos, reunimos os 4 principais pontos para dar maior atenção na hora de fazer um seguro náutico. Se você já entendeu a importância deles e quer tirar suas dúvidas, leia mais abaixo!

 

Seguro Náutico: os 4 pontos destacados pela RKR Seguros

 

1. Quais coberturas ter?

Segundo Rudney, as coberturas para o casco, motor e rabeta do motor são indispensáveis. Ele ainda explica que, no caso de colisão com uma pedra, é possível que somente a rabeta seja danificada, sem afetar o motor e o casco, algo que justifica a importância da sua cobertura.

Além disso, é essencial ter um seguro com cobertura para remoção de destroços. Isso porque em acidentes graves, quando a embarcação afunda, a Marinha exige que a remoção dos destroços por parte do proprietário. Quando não assegurado, tal operação pode custar de 20 a 40 mil reais.

Por fim, quando tratamos de veleiros, não esqueça de incluir a cobertura para o mastro e para as velas.

 

2. Transporte Terrestre

Ainda falando de coberturas, temos aqui um dos outros exemplos mais significativos. Se o seu barco não ficará abrigado em marina, você precisará de uma carreta rodoviária para transportá-lo quando quiser navegar. Neste caso, não deixe de incluir no seu seguro a cobertura para transporte terrestre. Assim, você estará protegido de qualquer acidente que possa ocorrer ao transportar a embarcação em rodovias.

No entanto, o tamanho máximo que uma embarcação pode ter para usufruir essa cobertura é 23 pés. Como já citamos em nosso texto sobre os tipos de carretas, embarcações maiores não podem transitar em carretas rodoviárias.

 

3. Legislação

É importante destacar que o seguro só fará o pagamento se todos os aspectos estiverem dentro da lei. Um exemplo que Rudney ressalta é a habilitação do marinheiro responsável. Ele precisa, obrigatoriamente, comprovar que é habilitado para navegar na região onde o acidente aconteceu.

Se a sua carteira (ou do marinheiro que o acompanha) é de arrais amador e o acidente foi na Ilha do Arvoredo, Florianópolis, o seguro não tem a obrigação de cobrir. A Ilha não está dentro do limite enquadrado para a categoria.

 

4. Tipos de navegação

Por último, trouxemos um detalhe que costuma ser esquecido por muitas pessoas. Trata-se do tipo de navegação que estava sendo feita no momento do acidente. Dependendo da finalidade da utilização do barco, será necessário um seguro diferente.

Por exemplo: se você usa a embarcação para transporte de passageiros, charter ou aluguel, precisará de um seguro específico para uso comercial. Se irá participar de uma regata ou outra atividade competitiva, a seguradora deve ser informada. Caso contrário, é possível que você não esteja coberto no dia do evento.

 

Contar com um seguro náutico é uma das medidas que pode o salvar de um grande prejuízo. Com os pontos destacados hoje, você já sabe o que deve ser considerado quando for escolher o seu. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a FS Yachts e nós iremos respondê-lo!

+55 (48) 3279-7333 De segunda a sexta das 09h00 a 18h00 (GMT -3).
Calle Cecília Maria José de Azevedo, n° 210 - Mar das Pedras – Biguaçu/SC